Mochilão MPH: Brazucas em Dublin

Fazer um intercâmbio, não é uma decisão simples, principalmente com a União Europeia em crise, mas como somos brasileiros não desistimos nunca.

Chegando em Dublin, o que você mais verá nas ruas são Brasileiros. E o português se fala naturalmente no dia a dia: no mercado, na farmácia e em casa.

O mais engraçado é que exitem 2 tipos de Brazucas aqui: os que são gente da gente e os que se acham europeus (mas tá na cara que são latinos).

Gente da Gente: é a galera que está aqui pra estudar, aprender, trabalhar, viajar e que não esquecem suas raizes, seus amigos e um país maravilhoso como o nosso! O Brasil, não perde em nada para o um país europeu, a unica diferenca é que aqui as coisas funcionam e no Brasil o básico não funciona porque os que estão no poder não querem. Essa galera bacana, se ajuda no cotidiano, se diverte e faz você não se sentir sozinho, pois estamos todos no mesmo barco.

Brazucas Europeus: antes de me aventurar, escutei que os europeus tinham preconceitos com brasileiros, na real nunca percebi isso, os mais preconceituosos, são os próprios brasileiros, que zombam de quem está chegando, que não ajudam o próximo, os que estão há mais tempo parece que tem o Rei na Barriga – como diria minha avó, pois tem, digamos, um emprego melhor (tô falando de lavar prato, fazer faxina ou recolher copos no Pubs). Quando eu olho dou risada porque acredito que ninguem é mais que ninguem.

No geral ser brasileiro na Europa é otimo, somos mais bonitos, mais calorosos, mais humanos, mais amigos… temos ginga, sorriso estampado no rosto e sempre de cabeca erguida pois não devemos nada a ninguém!

#FicaDica Com a crise na Europa, o Brasil está sendo o pais mais bem visto e conheço muitos gringos que estão se jogando pra fazer a vida nesse pais tropical!

O Moda Para Homens é o maior blog de moda masculina do país. O nosso objetivo é mostrar que homem também tem que ter estilo.
Post criado 1517

3 comentários em “Mochilão MPH: Brazucas em Dublin

  1. Acho que ninguém deve esquecer suas raízes, mas isso não significa que você tem que sair do Brasil e continuar como se ainda morasse aqui.

    Muitos desses “gente da gente” são pessoas que vão pra fora do país com a finalidade de “aprender, estudar, e experimentar uma cultura diferente”, mas chegam lá e só convivem com brasileiros, continuam falando português e continuam com o mesmo comportamento subdesenvolvido de sempre. Então, qual é o sentido de sair do país de qualquer forma?

  2. Concordo.
    Moro na Irlanda e acredito não estar em nenhuma das categorias acima (afinal, meio leviano categorizar).
    Não me acho europeu mas também não frequento festas brasileiras.
    Muitos desses “gente da gente” voltam pro Brasil com um inglês vergonhoso, pois só se relacionam com brasileiro, tem medo de conversar em inglês, não se aventuram em pubs tipicamente irlandeses, enfim, não aproveitam a oportunidade do intercâmbio.

Deixe uma resposta para paulo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
A importância do Setembro Amarelo O Pop-Punk está voltando à moda! PEÇAS QUE AS MULHERES ODEIAM NOS HOMENS Old Money: A estética ‘Rico Vintage’ Truques de estilo para homens gordinhos