Confesso que era muito pé atrás antes de conhecer o real vegetarianismo. Talvez por simplesmente conhecer pessoas ditas vegetarianas, sem qualquer fundamento ou base. Para escrever essa matéria, li alguns livros sobre o assunto, mas um, em especial, me chamou bastante a atenção: “Alimentação Vegetariana: Chega De Abobrinha!”.

Jamais declare-se vegetariano num hotel, restaurante, companhia aérea ou na casa da sua tia-avó. É que todos eles têm a mesma vivacidade e vão responder:

– Eu gostaria de lhe preparar uma comida decente, mas já que você não come nada vou lhe servir uma saladinha de grama.

E, por mais que você tente explicar que vegetariano não é isso o que a esvoaçante fantasia do interlocutor imagina, sua probabilidade de sucesso é nula. Na caixa-preta dele já está selado, carimbado e homologado que vegetariano só come salada e ponto final.

Primeiro de tudo, “vegetariano é aquele que não come carnes. Nem vermelhas, nem brancas. Carne alguma. E é só isso”. Divisões dos grupos de vegetarianismo à parte (lacto-ovo-vegetarianismo, lacto-vegetarianismo e vegan), exatamente: “é só isso”, caros leitores!

O fato é que, como o próprio livro cita, “comida ruim não é vegetarianismo, é ignorância“. “-Tem batata frita? Tem couve-flor? Tem queijo? Tem farofa? Tem palmito? Tem espaguete, Tem champignon? Tem pizza?”. E essas são apenas algumas das comidas presentes no cardápio de um vegetariano. Desde de saladas diversas à empanados, pastéis e empadas, você pode ler aqui todas as receitas citadas pelo livro, e seus modos de preparo.

Apesar de ter sido vegetariana por 15 anos, o fato é que hoje em dia, fanática por carnes que sou (sejam elas vermelhas, brancas), senti uma vontade enorme de adotar “o estilo de vida” novamente.

E se há algum vegetariano lendo a matéria, pude ler (e rir!) com algumas gafes que as pessoas cometem “contra” vocês (mas que nunca cometeram comigo na época que eu ainda era uma vegetariana), ditando o que vocês podem ou não comer, sem base ou fundamento, muitas vezes falando que vegetariano é aquele que nem sequer toma refrigerante (apesar de eu não tomar há 4 anos!), até porque refrigerante é uma coisa totalmente ligada à carnes, não é mesmo? Perdoem esses pobres seres, pois não sabem o que dizem!

Ah, e aqui uma mensagem a muitos que conheço (e se dizem vegetarianos de corpo e alma!): VEGETARIANO NÃO COME SOJA! “Só adota compulsivamente a soja o falso vegetariano, aquele vegetariano de boutique. Vegetariano de verdade, experimentado e informado não usa soja porque isso é uma mera bobagem. A não ser que essa leguminosa entre na composição de algum produto como kibe vegetal etc. Soja é ruim, indigesta, desnecessária e contém um excesso de proteína”.

“Vegetariano de boutique”, não de corpo e alma!

Essas e mais algumas loucuras já “carimbadas em nossas caixas-pretas” preconceituosas, você pode ler e se perguntar o motivo pelo qual achava tudo isso de um vegetariano. Super indico o livro. E a quem quiser adotar a prática, além da força de vontade, lembre-se: há um mundo de pratos que podem ser preparados sem carne. E todos eles deliciosos!






Escrito por Rayanna Utiama
Consultora de estilo e gestão de imagem, formada pela Oficina de Estilo e Berenholc&Dalpra, pós graduada em Consultoria de Imagem e Estilo. Posta diariamente sobre essas e outras paixões no insta @rayannautiama.