Ouvimos sobre distúrbios psicológicos e alimentares sempre com enfoque no publico feminino, mas os homens também podem sofrer de transtornos alimentares e no caso da famosa “Anorexia” para os homens ela foi intitulada como Manorexia.

“Manorexia” é o termo utilizado para designar a anorexia masculina e enganasse quem pensa que isso não exista, apesar da mulher se titulada como a mais preocupada com o corpo, os homens com o avançar das tecnologias e tendências tem sentindo essa cobrança na pele, principalmente modelos quando alguns editoriais exigem para o trabalho que o mesmo apresente baixo peso. Algumas tendências como a calça skinny e a alfaiataria superjusta que vemos em todos os lugares inspira homens a achar que devem emagrecer trazendo uma “neurose” dentro desse contexto. Nas araras, a mudança também é clara.

Um homem mais encorpado terá, segundo alguns vendedores, dificuldade em achar calças e roupas em muitas lojas. Pesquisas afirmam que a anorexia no sexo masculino é tão rara que afeta apenas 1 homem em cada grupo de 10 anoréxicos, mas apesar do baixo número o assunto vem preocupando pesquisadores da área. Pesquisas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos mostra que 25% dos casos de bulimia e anorexia atingem os homens, valor considerável.

Esse distúrbio é caracterizado pela falta da vontade de comer, há realmente uma recusa em se alimentar e quanto mais magro melhor, a pessoa se olha no espelho e nunca está magra suficiente, encontra gordura onde não tem e muitas vezes apesar de cadavérica se vê com altíssimo peso, ou seja, há uma compulsividade no desejo de emagrecer.

E nesse momento podemos voltar a uma de nossas primeiras matérias e perguntar: Até aonde um corpo magro, escultural que seja, ou um estereótipo que a sociedade impõe vale a pena em troca da sua saúde?

Precisamos nos atentar a essas características e sintomas, apesar que muitos que possuem esse distúrbios não aceitam e daí é necessário atenção daquelas pessoas próximas, esposa, namorada, família e amigos. Não é se considerar um doente e sim admitir que precisa de ajudar e procurar os profissionais capacitados para isso. Temos que entender que independente do nosso serviço, seja ele comerciante, professor, modelo, nosso organismo necessita de uma necessidade enérgica para sobrevivermos e isso será ofertado na forma de alimentos gerando energia. Quando esse deficit começa a ocorrer o organismo sente e depois pode ser tarde demais para reparar alguns danos tanto psicológicos quanto fisiológicos.






Escrito por Ricardo Freire