cuidado-com-os-pes

Ô partezinha do corpo para causar mais controvérsias que essa. Amor e ódio caminham juntos quando tratamos dos nossos pés. Muitos não podem nem ouvir falar e sequer querem ver. Preferem deixá-los escondidos sob sapatos e tênis.

Outros são podólatras de plantão. Amam os seus, os meus e o teus pés. São vidrados. Pois é, gostemos ou não, não tem jeito, a gente vai ter que cuidar deles.

Por isso, fizemos uma listinha aqui para ajuda-los a cuidar de quem te sustenta o dia todo.

1) Tudo começa com água e sabão.

É fato que todo mundo toma banho com água e sabão e lava o pé todo dia. Só precisa ver se está realmente lavando certo. Dedo por dedo deve ser lavado com sabão, matando fungos e bactérias. Aliás, esse é apenas o primeiro passo lavar e passar sabão.

2) Pés secos evitariam metade dos seus problemas.

A gente acredita aqui que todo homem lava os pés. E mais, que eles usam água e sabão. Só não temos a certeza de que todos os secam.

Não é para sair do banho com a sensação de dever cumprido. Secar os pés é essencial para evitar a proliferação de micro-organismos causadores de doenças.

Por favor, toalhas NELES. Dedo a dedo. Isso é rápido e vai te poupar de constrangimentos como micoses e frieiras.

3) Você sabe cortar as unhas dos pés?

O terceiro passo para pés saudáveis tem resposta. Unhas bem cortadas são essenciais para a saúde dos seus pés. Primeiro passo, cortá-las. Não é porque os sapatos as escondem que você tem que ter unhas do zé do caixão.

Você sabe cortá-las corretamente? Eu digo que eu não sei. Por isso, recorro ao auxílio de manicures.
Podólogas e manicures podem nos ajudar. Mas, se você o faz sozinho, tente não cortar muito rentemente, de modo que atinja a pele.

4) O local é público, seu pé não.

Em locais públicos temos que ter cuidado redobrado com a exposição dos nossos pés. O local é público, seus pés não. Por isso, em vestiários, piscinas e chuveiros comunitários não coloquemos o pé em contato direto com o chão. Chinelos e crocs ou outros sapatos de borracha para evitar doenças.

5) Algo (in)evitável, usar o sapato de alguém.

Muitas vezes acontece de emprestar o tênis ou sapato do amigo. Acontece. Raramente, mas não é para acontecer sempre. Um imprevisto aqui, do tipo esquecer o chinelos ou molhar o tênis em uma viagem. São N situações que podem ser evitadas. Quando a gente quer dá para evitar e o certo mesmo é não usar calçados de terceiros, pois nunca se sabe o que você vai encontrar por lá.

Por mais, que seja parente ou amigo devemos usar só o que é nosso. Nada de outrem, isso evita doenças. Isso inclui aluguel de botas de ski, tênis de boliche, etc.

ajeitando-tenis-regata

6) Para quê servem as meias mesmo?

Pés suados são um antro para proliferação de bactérias e os nossos pés suam e muito. Cada um tem em média 250.000 glândulas, então é suor para caralho sendo produzido ali. Inevitavelmente a gente tem que controlar esse suor.

As meias ajudam nesse controle. Meias de algodão (meias sintéticas esquentam mais e proliferam mais bactérias), não muito apertadas (para não esquentarem mais ainda) secam os pés e evitam que o suor se espalhe, proliferando ainda mais bactérias.

7) Use produtos específicos.

Além de combater o chulé (que é uma das coisas mais desagradáveis), o uso de produtos específicos ajuda na higiene e na assepsia do pé.

Desodorantes, talcos e sabonetes específicos podem auxiliar na higiene do seu pé.

Eu uso um sabonete específico para os pés e que combate totalmente o chulé, o Soapex 1% é ideal para quem não quer ter chulé.

8) A escolha do calçado é tudo.

Cuidado ao comprar calçados que não apertam demais os pés ou que não permitem que eles respirem.
Calçados no tamanho ideal, são o mínimo. Pequenos ou grandes demais podem causar problemas nos pés a longo prazo.

Ao escolher um calçado faça-o no fim de tarde, pois os pés estão mais inchados com o cansaço e isso simulará bem como é a sua rotina e a expansão dos seus pés diariamente. Procure calçá-los com o tipo de meia que você costuma usar, simulando bem como ele será usado posteriormente.

O sapato deve ser ideal ao seu formato de pé. Amplo, arredondado e com amplitude para os dedos. Sapatos pontudos deformam os pés e encravam as unhas.

A questão do material também é muito importante. Se você puder, por que não usar sapatos que permitam que os pés respirem, como calçados de tecidos e malhas?

9) Autoanálise é tudo na vida.

Um minuto de atenção, por favor. Para os seus pés é claro. Se você percebeu algo de errado, pode ser um sinal de alerta. Escamações na pele, cascas diferenciadas, coceiras e unhas com aspecto amarelado, esbranquiçado ou deformadas podem ser sinal de doença, vamos nos atentar.

Autoanálise para verificar se o seu pé não está passando por algum problema.

10) Qual é a hora de procurar o especialista?

Lembre-se nem tudo pode ser solucionado sozinho ou com produtos de farmácia. Qualquer vermelhidão, inchaço, pus, cor diferenciada ou irritação deve ser tratada com a ajuda de um especialista, não se medique sozinho, cutuque ou tente arrancar unhas encravadas, pois isso piorar o problema.

podologia

Nada como poder tirar os pés e esbanjar saúde. Nada de chulé, unhas de lobisomem ou pés cascudos, doentes e feios. Vamos nos cuidar e poder mostrar nossos pés sem medo. Isso é tudo que temos para hoje. Espero que as dicas lhes ajudem.

Escrito por Diogo Rufino Machado
Ariano. Apaixonado por moda masculina e música eletrônica. Advogado. Jornalista de moda e blogueiro nas horas vagas.