Ultimamente tenho pensado muito sobre consumismo. Já faz um tempo que ando engajada em sustentabilidade, “fechando a torneira correndo” e na última semana decidi parar de vez com as carnes (assumindo todo o risco dos prós e contras).

O mais impressionante foi que parar de comer carnes me fez repensar todas as minhas outras escolhas. O fato de você raciocinar antes de comer abre a sua mente e te faz pensar com tudo na vida: “Será que preciso realmente disso?”.

Eu vejo muita gente se atolando em dívida por aí para passar uma imagem que não consegue sustentar. Aqui falamos de moda e de objetos de desejo, mas, antes de tudo, acho que de nada vale sair todo estrelado com as últimas tendências e na hora de pagar o jantar torcer para que o cartão passe.

Outro clássico é “eu não sei mais onde colocar roupas!”. Será que você já não tem coisas demais? Misturar o vintage com o novo é uma brincadeira bem divertida, muitas vezes você encontra uma nova versão da mesma peça apenas arriscando usá-a de uma forma diferente.

Sabe aquele casaco que você não sabe se vai usar, que gosta mais ou menos? Doe. E aquele sapato que aperta seu pé e você nunca usou? Passe pra frente.  E aquela roupa que tá com o ziper estourado mas você adora? Mande arrumar!

Mas isto não significa que é pra você sair correndo e entupir de novas peças no lugar, só porque fez a doação. Ás vezes um pouco de espaço no armário faz bem para arejar as roupas e também, porque não, a cabeça.

Pense nisso.

@ericahans






Escrito por Erica Hans