Em meio a semana de moda de Londres, os formandos da escola Central Saint Martins desfilam também suas coleções num evento à parte, no final da temporada. Para quem não conhece, a Central Saint Martin é umas das principais escolas de moda do mundo e lança os estilistas mais criativos a cada semestre, que tem a oportunidade de mostrarem seus projetos diretamente a compradores e outras empresas. De lá saíram Alexander McQueen e John Galliano, por exemplo. Neste último desfile, três nomes me chamaram a atenção por terem similaridades em suas coleções e conseguirem unir, em formas maximalistas, arte e folclore numa moda cada vez mais globalizada. A ideia não é mostrar tendências, e sim a linha de criação de cada um. O legal é ver como as criações se relacionam entre si, além de mostrar o grau de relevância que uma faculdade de moda é dado no país. Estudante de moda, inspire-se!

BETH POSTLE

Usando certo tipo plástico (ou resina no tecido que dá esse efeito), a estilista fez uma coleção masculina que trás um assunto bem recorrente: arte e moda são a mesma coisa? Os modelos servem quase de telas de pintura.

RACHEL CHOI

Maxi suéteres e cardigãs numa combinação que poderíamos chamar de “sonho neon”.

XUE LI

Influencia tribal também com a presença neon. Alguns elementos me lembraram umas das coleções mais conceituais de João Pimenta para o SPFW.

Este é um excelente exemplo da considerada “capital da moda” em 2011, que devemos olhar, avaliar e, quem sabe, trazer para cá? Os estudantes são motivados a se dedicarem ao máximo nos projetos, uma vez que ele será avaliado no final de uma semana de moda por todo o mundo. Isso mostra, além de reconhecimento, uma preocupação com o mercado de trabalho que, obviamente, é bem diferente do Brasil. Fica a dica para quem pretende estudar fora: a escola, além da graduação, oferece cursos que duram 1 semana.






Escrito por Dhyogo Oliveira
Blogueiro e designer de moda. Também escreve no Sem Geração.