A onda do descombinar deu uma passada né gente? Já faz um tempo que falamos em conjuntos ou twins. A proposta era simples, botávamos peças com mesmo tecido, estamparia tanto no top quanto no bottom (isso há uns dois anos atrás). Quem disse que aqui a coisa pegou e saiu do lugar?

Você via um ou outro usando (eu mesmo confesso que tinha um pouco de vergonha).

Final do ano passado e início desse ano, nós vimos a coisa deslanchar e se popularizar. Os macacões, as jardineiras e os supostos conjuntos ou twins que formariam uma única peça deram as caras. Os homens perderam o medo e com peças mais discretas em jeans saíram às ruas, foram aos bares e deixaram o preconceito de lado.

Mas sabe o porquê de tudo isso? Uma marca norte-americana, a RompHim, soltou versões do “male romper”, que seria o macaquinho masculino, em estamparias diversas e cores bem diferentes, vivas e alegres e, hoje, os meninos têm menos restrição quanto à peça.

homp-rim

Lógico que os modelos resorts são apenas para aqueles caras mais ousados que vão a ambientes descontraídos, mas qual o problema de usar um jeans ou preto? Fica parecendo um look monocromático ou um all black.

Deixemos o preconceito de lado e prestemos mais atenção nessas peças. São práticas, versáteis e você não tem que pensar muito ou ficar fazendo combinações (pensando em cores, padronagens e estampas).

male-romper

Tinha dúvida? Agora bota o “Male Romper”!






Comente com o seu perfil do Facebook:

Escrito por Diogo Rufino Machado
Ariano. Apaixonado por moda masculina e música eletrônica. Advogado. Jornalista de moda e blogueiro nas horas vagas.