bsb-anos-90

O século XX foi o século a ser copiado pela moda em geral nesse primeiro início de milênio. Também pudera, né? A proximidade entre o último século e o novo milênio explica muito bem tudo isso.

Passeamos pelos mil novecentos e bolinha…. Década a década, geração a geração, influências e influências. Anos 60, 70, 80 e hoje estamos cá para falar da influência dos anos 90. Por fim, chegamos à última década.

Os anos 90 estão de marcação cerrada na moda atual. E é na moda em geral, gente. Óbvio que não podemos perder o foco. Então vamos de moda masculina. Mas não se esqueçam de pensar no todo.

Uns aqui, vão se recordar plenamente do que estou falando. Outros, vagamente têm algumas lembranças. E, alguns, sequer eram nascidos.

Os anos 90 marcam o fim da Guerra Fria e quase extinção do socialismo. Os EUA estavam muito em alta. No Brasil, iniciava-se o plano real e 1 real valia 1 dólar. Aqui, queríamos consumir e consumir cultura americana. Isso influenciou muito a moda e o jeitão da época e nos faz entender bem o que estamos vivendo atualmente.

O basquete era um dos esportes do momento. Michael Jordan era o cara. E Space Jam contaminava milhões de jovens brasileiros que sonhavam com o modo de vida americano.

spacejam

Assim, surgiram muitos modelos de sneakers com cano alto, estrutura mais pesada e robusta. A Nike entrava aos combos em território nacional. O Nike Air Max 1 era lançado e viraria febre.

Reparem bem que os (dad) ugly sneakers de hoje (que por sinal têm sido repudiados por um pessoal aí) têm um pezinho lá atrás. Eles são pura inspiração da Rebook, Nike, Mizuno e New Balance de uns anos atrás. São apenas filhotes deles.

A Balenciaga não inventou nada quando fez renascer o primeiro Ugly Sneaker, ele é filho dos anos 90.

Nessa época, com real de 1 para 1. Todo mundo queria estar na Disney, consumir marcas e, parece besta, mas era o início da globalização da Coca-Cola, do Mc Donalds e da febre shopping centers no Brasil. Pipocavam marcas como Fórum, Zoomp, Ellus, Colcci e Triton.

marcas-anos-90

Sim, todo mundo queria usar marca. Não existiam lojas de departamento como existem hoje. Então, para se ter uma boa calça jeans era necessário pagar caro. Mas ao mesmo era legal ostentar com símbolos e estampas as marcas que vestia. Dai resulta a logomania atual. Supreme, Dolce Gabbana, Louis Vitton estampadas na cara da sociedade são pura cópia da cultura desse período.

Na música, respirávamos os últimos resquícios do que seria o Rock and Roll. Camisetas de banda eram o cool do momento. Sim, eu visto o meu ídolo. Eu uso bandanas, bottons e pochetes. Está explicado agora aquele resgate que tivemos de bandanas em tudo quanto é parte do corpo. Das pochetes e das novas pochetes que são as mini bags. Elas têm uma explicação.

O pop estava em alta, Madonna e Michael Jackson eram a febre do momento. Por sinal, em contrapartida surgia uma nova corrente na moda de modelagens amplas, retas e simples. Eram o jeans corte reto e sem lavagens da Nike, usado com camisa branca bem simples e meia cano alto branca em tudo (influência by Michael).

Sim, meias brancas não são bem vindas por todos no contexto atual da moda. Mas o jeans retão, as modelagens simples, a pegada minimalista e clean originou o que hoje chamamos de Normcore e que está por ai nas ruas.

anos-90-tendencia-jeans

Por outro lado, pipocava a ideologia grunge nos EUA e aquela pegada mais street com jeans rasgados, listrado, xadrez e alguns modelos de óculos como o do Kurt Cobain faria a cabeça de muitos jovens bem como se faria presente no look de muitos caras por aí. Agora você entende de onde está vindo tanta listra na moda.

A cultura gay ganhava força… Cores vivas, alegres dariam vida ao neon. Que por sinal foi muito bem resgatado nas últimas coleções.

blusa-neon-masculina

Está vendo como moda não é pura futilidade como muitos acham? Está aí muita cultura e história (para calar a boca merrrmo) e para que vocês entendam de onde vêm essas inspirações sedutoras da moda atual. Esperamos que gostem.

Escrito por Diogo Rufino Machado
Ariano. Apaixonado por moda masculina e música eletrônica. Advogado. Jornalista de moda e blogueiro nas horas vagas.