Você já imaginou uma pessoa que trabalha com um tipo de produto fazer discursos que incentivam às pessoas não comprarem esse produto de forma consumista?

Pois esse é o discurso da famosa estilista Vivienne Westwood depois de cada um de seus desfiles.

Em 2010:

“Parem com todo esse consumismo”.

“Eu sempre digo às pessoas: ‘parem de comprar roupas’. Por que não proteger esse presente que é a vida enquanto nós a temos? Eu não acho que essa atitude destrutiva seja inevitável. Alguns de nós gostariam de parar e ajudar as pessoas a sobreviverem”.

Em 2012:

“Eu digo às pessoas para pararem de comprar roupas por pelo menos 6 meses. É bom comprar menos e fazer boas escolhas. Faz bem para o meio ambiente”.

“Quando era pequena, tive que aprender a costurar meias rasgadas, mas hoje ninguém remenda nada”… “Há pessoas que não sabem nem ferver um ovo. Acho que os britânicos são os maiores consumidores de refeições prontas do planeta”.

Em 2013:

“Compre menos. Escolha bem. Faça durar. Qualidade, não quantidade. Todo mundo está comprando roupas demais. Digo, sei que sou sortuda. Posso pegar as coisas, emprestá-las, mas odeio ter muitas roupas. E acho que os pobres deveriam ser ainda mais cuidadosos”.

 “Acho que as pessoas deveriam investir no mundo. Não invista em moda, mas no mundo”.

“A primeira coisa a fazer, quem mora numa cidade, é ir a galerias de arte. Comece a construir valores diferentes, a se engajar com o passado, com a raça humana”.

“Não significa que você tenha que comprar qualquer coisa barata. Em vez de comprar seis, compre uma de que realmente goste. Não compre apenas por comprar.”

E você?

Compra roupas por consumismo ou por necessidade? Tem o costume de restaurar roupas? Quantas roupas têm no armário que nunca usa? Comente. Vamos discutir sobre isso!






Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.