Look masculino de Pierre Cardin na década de 1960

Nem off white, nem branco perolado, nem envelhecido… O branco da década de 1960 foi o branco sem tirar nem por. Quando a gente estuda as cores, aprendemos que a cor branca é a presença de todas as outras cores. Por isso, a definem como a cor que repele todos os raios luminosos e, por isso, aparece com a máxima clareza. Essa foi uma cor que marcou a história da moda dos anos 60 justamente no movimento futurista, que já falamos no post passado, iniciado pelo estilista Pierre Cardin. Mas foi André Courrèges que lançou uma coleção com todos os looks na cor branca. A repercussão foi tão grande que a imprensa chamou o fato de “Revolução Courrèges”, de tão inovador. Foi ele também que criou o look da era espacial, quando suas modelos apareceram na passarela como seres de outro planeta. Este foi um estilo que marcou o estilista – e a década (veja abaixo algumas imagens). Outro fato interessante é que em 1968, o décimo álbum dos Beatles ficou mundialmente conhecido como “O Álbum Branco”, por ter a capa e o interior todo branco, sem nenhum desenho, imagem ou cor. So não ilustrei este post com a capa do disco por motivos óbvios.

Há algumas temporadas o look all white já havia dado o ar da graça nas passarelas, mas era o boom do off white. O branco futurista apareceu mesmo como tendência para o vc verão 2013 em algumas passarelas de Paris e também no Brasil. Repare as imagens abaixo: a estética também é futurista, só que atual. Peças atuais como jqueutas, shorts e camisas em branco total. Isso deixa tudo mais atual.

Para quem não se identifica muito com os estampadões  que estão vindo com tudo no verão, essa é uma boa saída, principalmente porque o verão brasileiro é violento, e o branco não absorve nenhum calor. Abaixo, algumas imagens de streetstyle, e a campanha da Calvin Klein para você se inspirar na hora de comprar as peças certas.

Veja as partes 1 e 2 dessa série de posts que mostra como a década de 1960 influencia a moda até os dias de hoje.






Escrito por Dhyogo Oliveira
Blogueiro e designer de moda. Também escreve no Sem Geração.