Se você ainda não viu, vou lhe apresentar algo que talvez seja normal para uns e que chocou tantos outros (por sinal a maioria!), assim como eu.

Não só a “galereee” da moda, mas “mó” galera por aí tem replicado um vídeo que vem chamando bem a atenção nas redes sociais. Esse vídeo, que por sinal não foi cria nossa, começou nos EUA. Como sempre, logo tratamos de copiar e dessa certa forma foi até bom. Pois revelou uma realidade nua e crua, bem diferente dos telejornais de violência e corrupção ou da novelas de sonho e ilusão.

O canal Hyped Content fez a versão tupiniquim do vídeo intitulado “How much your outfit?” nas terras de Trump. A versão brasileira do vídeo “Quanto custa o outfit?” serviu aos golpes na nossa cara a ostentação de jovens participantes do evento “Sold Out”.

Para quem não sabe, esse é um evento que promove a venda e a troca de peças de roupas, mas o que não se esperava era o valor das peças que os frequentadores estavam usando ou mesmo se somadas as peças por completo, qual seria o valor do outfit.

Confira esse polêmico vídeo:

Assim como eu, muitas pessoas assistiram ao vídeo e se espantaram. Isso existe mesmo? No Brasil? Não era só pelo uso de marcas, que não sejamos hipócritas, é normal, ainda mais se tratando de uma camada jovem da população.

O que chamou mesmo a atenção, e espantou, foram os valores de cada peça “paga” por esses jovens brasileiros. Em tempos de crise, os bacaninhas da “high society” da FAAP nem se intimidaram com as câmeras e exibiram peça por peça, valor por valor e ainda posaram para fotos. Valores absurdos considerando-se vários fatores como moda, país, época, idade, classe social etc.

A ostentação Made in Brazil exibe marcas aos montes, mas quase nunca daqui. Aliás, corrigindo marcas não. GRIFES, por favor, não erre. Nomes citados em desfiles de Milão, Paris ou Nova Iorque são o meu uniforme de escola, sabe como é né? Uns paninhos da hora para gente mostrar que pode, que entende de moda, que tem dinheiro para isso e mais que a gente é phoda. Baleciaga aqui, Comme de Garçons ali. Supreme acolá. Ok, respeitamos a vontade de cada um e quem não gosta de usar umas peças bacanas? Até nós tentamos. Agora eu tenho certeza que nunca consegui! rs

Mas olha …. Meu parabéns, se você pode pagar tudo isso! Blusas, camisetas, tênis, bonés, calças e acessórios. Bem “tipo assim” uns R$500,00 nesse boné. Esse tênis R$250,00. A camiseta é R$500,00. Calça R$3.000,00. Juntando tudo vou dar meu rolezinho com um outfit de R$10.000,00 (isso por baixo).

quanto-custa-outfit

Nada contra, cada um gasta o seu dinheiro e não pediu nada para mim nem para você. Não deve para o meu pai, ou pegou algo emprestado de alguém. Mas daí a gente para e pensa: Se essa molecada gasta isso na roupa, qual seria o padrão de vida desse pessoal?

Estaria eu mentindo se dissesse que não sabia que existiam pessoas assim. Mas o que espantou foi a quantidade de pessoas gastando tudo isso e os valores que elas gastam em um look casual de streetwear (não é traje de gala, vestido de noiva ou alfaiataria sob medida). Não estamos também falando em políticos, empresários ou diretores de multinacionais.

Os jovens de hoje em dia estão gastando bem e de acordo, viu. E não sei você, mas eu admiro em um país onde tantos passam fome, outros sequer sabem escrever o próprio nome e muitos mais morrem por falta de saúde, higiene e saneamento básico, existam tantas pessoas que gastem tanto com algo, não digamos fútil, mas sim supérfluo.

A reflexão para mim não fica em relação ao gasto deles, não. O problema nem é nosso. Mas sim, que país é esse? É a PORRA do Brasil. Se é não sei. Só não sabia que as coisas por aqui estavam assim. Ok, o país é rico. Mas agora até discordo disso, é milionário e está na hora de dividir o bolo de uma forma melhorzinha né? Vamos lá refletir então. Que Mundo viu eu?

Escrito por Diogo Rufino Machado
Ariano. Apaixonado por moda masculina e música eletrônica. Advogado. Jornalista de moda e blogueiro nas horas vagas.