Hipster é coisa do passado, agora a moda é ser Yuccie!

David Infante, um colunista do Mashable, criou um artigo e está defendendo a teoria de que “hipster” é coisa do passado. A nova tendência é ser Yuccie, um outro estilo de vida que ele diz seguir.

Essa nova definição surgiu após ele ter se cansado de ser chamado de Hipster por usar bigode e ir trabalhar diariamente com sua bicicleta retrô de marcha única.

Os “Yuccies” (Young Urban Creatives – jovens urbanos criativos), segundo David, em poucas palavras, são uma fatia da Geração Y, nascidos no conforto suburbano, doutrinados com o poder transcendente da educação e infectados pela convicção de que não só nós merecemos perseguir os nossos sonhos, como devemos aproveitá-los.

São como “consultores sociais que coordenam campanhas de estilo de vida”.

O sonho de todo Yuccie é enriquecer rapidamente sem perder a sua autonomia criativa. Mas, se tiver que sacrificar uma das duas opções, certamente o dinheiro que será escolhido.

Geralmente procuram empregos que fujam do formal, tradicional e/ou corporativo.

Yuccie

O vasto potencial da internet inspirou os Yuccies com novas oportunidades, desencorajando o crescimento profissional da forma tradicional. O boom da internet, o surgimentos de novas plataformas e redes sociais, os novos magnatas da internet, blogueiros ficando famosos, pessoas fazendo o que gostam através da rede. Esses são os “cantos das sereias” dos Yuccies.

E os hipsters?

Segundo ele, a onda dos hipsters já deu o que tinha que dar. Eles já “morreram”. Morreram por por uma identidade contraditória. Isso é, para ser hipster é preciso rejeitar o mainstream, mas quando todo mundo rejeita o mainstream e é hipster, ninguém é.

Os Yuccies são “nojentos”

Por definição, segundo David, os Yuccies são “nojentos”. Isso porque eles possuem um enorme privilégio. Ser Yuccie é sinônimo de um tipo de cinismo egoísta que só pode existir na ausência de dificuldades. É a conveniência de ser aliviado por sua convicção; é o luxo de poder escolher suas próprias batalhas. Neste contexto, o cinismo é talvez traço mais marcante de um yuccie.

E aí, você é um Yuccie?






Comente com o seu perfil do Facebook:

Escrito por Guilherme Cury
33 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.