tendencias-2018

A moda é feita de períodos, estações (essa daqui já caiu por terra em algumas marcas!), ciclos, coleções, tendências… Logo, sabemos que a roupa que vestimos hoje terá uma vida pré-determinada, com tempo de duração, marcando seu nascimento e sua morte.

Com exceção às roupas clássicas e atemporais, a premissa acima possui um grande valor quando estamos tratando de moda (lembrando que seguimos o conceito de moda de Chanel: “a moda vai embora, o estilo permanece”).

Mas nem sempre uma tendência dura uma só temporada, ou, uma só coleção, ou, uma estação. Há determinadas peças que avançam o seu limite de vida. Outras estampas ficam aí incomodando os estilistas que sentem a necessidade do novo. Alguns cortes perduram por anos e anos, levando alfaiates à monotonia.

Galerinha de moda que discuta isso com calma, o objetivo aqui é outro. Vamos listar 5 tendências do ano passado que vão permanecer com força esse ano ainda. Por isso, você TEM que saber. Sim, você tem que saber, pois se elas já estão aí, é muito melhor apostar em algo que já sabe como usar, que já viu pessoas usando ou que sabe pontuar exatamente como usar.

Let’s go!!! Fique de olho para 2018:

Normcore e Atlheisure

athleisure-style

Por que eu estou tratando de dois conceitos diferentes juntos? Simples, são dois conceitos de moda que caminham em sintonia. O Normcore é você se vestir confortavelmente, independente dos padrões. Já o Atlheisure é a incorporação de peças esportivas ao mundo fashion.

Sim, são duas coisas bem distintas, porém as duas primam o conforto, o bem-estar do usuário. Em 2018 as duas estarão por aí, firmes e fortes.

Tanto uma quanto outra tendência, provavelmente irão permanecer por muiiiiito tempo na moda. Por quê?

Porque o momento que vivemos é esse. Todo mundo quer praticidade, agilidade e conforto. Não só na moda, mas também na vida e no dia a dia.

As marcas esportivas (Nike, adidas, Mizuno…) invadiram, com vontade, o universo da moda. E estão fazendo bonito. Não investem só em tecnologia, mas também estampas bem bacanas, ótimos tecidos e cortes super descolados. Isso gera mesmo vontade de botar no corpo e nunca mais tirar.

Estilo Worker (com macacão) nas ruas

macacao-jardineira

Há algum tempo a moda transportou a vida cotidiana de trabalhadores e operários para as passarelas. Assim, como um dia aconteceu, o jeans (peça anteriormente exclusiva de operários) foi levado à moda.

A pegada aqui é a seguinte: macacões e jardineiras continuam sendo grandes apostas. Não que os homens aceitem muito bem ou até mesmo as usem. Enfim, vamos ver se esse ano vai?

Nos pés, coturnos e chelseas. Calçados mais pesados e resistentes que conferem estilo e praticidade.

Worker Culture e a bota com estilo

Falar em worker é lembrar de roupa de peão mesmo. Claro, as coisas mudam um pouquinho. As cores são diferentes, os cortes e os tecidos. Não se precisa nem falar que o acabamento é outro.

Pochetes e mini bolsas laterais com tudo

pochete-transpassada

Demorou, mas chegou. Do brega ao cool. As pochetes voltaram há uns dois anos e no ano passado elas fervilharam pelas ruas. As dúvidas acabaram. Todo mundo está usando e ponto. Porém, atente-se. Estão ganhando novos modelos. Nada mais de cross baggy. Agora é a vez das mini bolsas laterais. Elas serão a bola da vez.

Logomonia explícita

logomania

Sabe aquela febre dos anos 90 de comprar e vestir a marca por si só? Ano passado grandes marcas estamparam seu poder dessa forma. Com certeza nesse ano essa tendência permanece.

A aposta é alta e muitas marcas até exageram. A Moschino sempre o fez de um jeito irreverente. Já a Supreme, a Gucci e Vetements o fizeram do jeito mais clássico.

Art fashion e 70’, 80’ e 90’

camisetas-retro

Englobei todos os itens em um só porque se referem a períodos históricos. A moda já parece cheia e sem muita criatividade. Não há muito o que ser inventado. Ou melhor, o que ainda não foi pensado?

Basicamente TUDO que você pensa já foi feito. Então estamos vivendo um revival de conceitos, tendências e peças. Só que dessa vez jogaram tudo no caldeirão ao mesmo tempo e soltaram tudo junto e misturado de uma só vez. Logo, tem um montão de itens anos 70, 80 e 90 caminhando juntos por aí desde o ano passado e que vão continuar, óbvio.

No caso, da art fashion é essa incorporação que a moda sempre fez e faz da arte. Porém, estamos revivendo não só cores, pinturas e obras. Estamos indo ao fundo do baú para retirar inspirações bem diferentes, mais antigas e fora de uso até então. Não estamos falando aqui de arte moderna apenas, mas de “antiguidades” como arte grega e romana (óbvio que não sou um especialista para dar nome aos bois, porém consigo enxergar que a busca é bem longínqua).

estatuas-hipsters-louvre-3

Ainda temos um longo ano pela frente. Agora você já sabe no que se inspirar, apostar e comprar. Que venha mais um ano de muita moda e conteúdo fashion a todos nós!

Escrito por Diogo Rufino Machado
Ariano. Apaixonado por moda masculina e música eletrônica. Advogado. Jornalista de moda e blogueiro nas horas vagas.