Bruxismo: Entenda a causa, consequências e sua relação com a pandemia

O bruxismo nada tem a ver com bruxa ou feitiçaria viu. Na real, trata-se do “apertamento” dos dentes em virtude de vários fatores. Mas como o assunto é bem específico, vamos consultar a Drª Júlia Losano, que vai nos contar um pouco mais sobre o assunto, que é até mais comum do que imaginávamos.

Por sinal, a pandemia aumentou a agravou os casos de bruxismo, segundo a Drª Júlia, mas vamos parar com delongas e bora lá entender mais sobre o assunto.

Drª. Júlia você pode me explicar o que é bruxismo?

O bruxismo é uma atividade parafuncional (que não é funcional) dos músculos da mastigação. Consiste no hábito inconsciente de manter os dentes encostados, em estado de tensão muscular, levando ao apertamento e/ou ranger de dentes.

Pode ser classificado como bruxismo noturno, que ocorre durante o sono e é tido como vilão, quando na verdade o maior gatilho parte do bruxismo de vigília, que ocorre durante o dia, principalmente durante a execução de tarefas que requerem atenção. (Tava apertando os dentes agora né? rs)

Como identificá-lo? Há sintomas específicos?

Os principais sintomas do bruxismo são:
– Cansaço nos músculos da face ao acordar;
– Dentes doloridos pela manhã;
– Dor ou zumbido no ouvido;
– Estalidos na mandíbula ao mastigar;
– Sensibilidade dentária;
– Dores de cabeça constante;
– Dentes desgastados e fraturados;
– Retrações gengivais.

Na pandemia houve um aumento do número de casos?

Durante a pandemia houve um aumento considerável tanto no número de casos novos, quanto na intensidade de quem já tinha o hábito. Cheguei a abrir canal em decorrência do bruxismo.

O que acontece com os dentes de um paciente com bruxismo?

Pacientes que possuem bruxismo apresentam dentes desgastados, fraturados, as incisais (pontinha dos dentes) superiores e inferiores apresentam-se irregulares e normalmente se encaixam quando deslizam.

Essa disfunção ocorre por quê? É genética?

O bruxismo tem certa carga genética sim, mas é uma disfunção com etiologia multifatorial, sendo os principais gatilhos de origem psicossomática. Sempre digo aos meus pacientes que o bruxismo não é uma doença, e sim um sintoma de desordens muito mais complexas, como transtornos de ansiedade, depressão, etc.

Bruxismo tem cura?

Não, apenas acompanhamento e redução de danos. Alguns procedimentos podem cessar temporariamente, como a aplicação de Toxina Botulínica e alguns tratamentos ortodônticos.

Como tratar o bruxismo?

A maçante maioria das pessoas faz uso de placas de mordida, o que quando bem indicada e acompanhada é um recurso incrível! Porém eu oriento meus pacientes à buscarem primordialmente a causa desse hábito. Indico a pratica de exercícios físicos para redução de estresse e ansiedade, alimentação saudável, diminuir o uso de telas, deixar avisos para que se lembrem de deixar os dentes desencostados durante o dia (#ficaadica). Terapias multidisciplinares e integrativas. Uma vez identificada a causa, mais fácil o controle.

Cuidar do seu sorriso é cuidar do seu cartão postal. Por isso, tenha sempre um especialista de sua confiança à disposição. Caso, você tenha se identificado com o post vá ao dentista e passe por uma consulta.

Ariano. Apaixonado por moda masculina e música eletrônica. Advogado. Jornalista de moda e blogueiro nas horas vagas.
Post criado 528

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
A importância do Setembro Amarelo O Pop-Punk está voltando à moda! PEÇAS QUE AS MULHERES ODEIAM NOS HOMENS Old Money: A estética ‘Rico Vintage’ Truques de estilo para homens gordinhos