10 dicas para você soltar o verbo sem medo de matar o Aurélio

Não, não sou o professor Pasquale e nem o professor Tibúrcio! A foto abaixo comprova isso, então esta piada não vai funcionar.

Eu não sou nenhum expert no assunto, confesso que várias vezes já escrevi algo errado e percebi só depois. Inclusive, se alguém detectar algum erro gramatical neste post, por favor, me corrijam ;)

A língua portuguesa é complexa, pode nos pregar várias peças e precisamos ficar atentos para não rasgar o dicionário por aí. Se ficou interessado, dá uma olhada na lista com 10 dicas que preparei para você se comunicar melhor:

POR QUE se escreve separado para perguntas e o PORQUE tudo junto serve para respostas. Caso o PORQUÊ seja a última palavra da frase, ele ganha um acento ali em cima do Ê, percebeu?
Exemplo: Por que você está usando listras com xadrez?
Porque eu gosto, simples! Não lhe interessa o porquê!

Dica da leitora Carol Freitas: “Por que” não precisa necessariamente estar em perguntas. É um termo interrogativo, que pode ser substituído por “por qual motivo”, por exemplo, mas pode estar em frases sem ponto se interrogação, como: “Eu sei por que ele fez isso” (por qual motivo ele fez).

“MIM” não precisa vir sempre em final de frase. Uma explicação muito mais rápida e correta seria dizer que MIM não conjuga verbo. “EU percebi que atrás de MIM havia alguém” (no meio da frase).

COM CERTEZA se escreve separado, você certamente deve se lembrar disso.

MIM só deve ser usado no final das frases, isso é o que todos professores ensinaram para mim.
Para EU aprender, para EU ensinar, para EU opinar, preciso saber que antes de verbos no início ou meio das frases, preciso usar EU, e não MIM.

– Inteligência é afrodisíaco, mas nunca afrodiZíaco. Assim como através se escreve com S e não com Z.
Talvez
você até confunda isso, mas lembre-se que é errado escrever “talves” com S.

Opinar não tem P mudo, escrever “opnar” é errado e você perderia a chance de dar a sua opinião.

CUmprimentar as pessoas dizendo “bom dia, boa tarde ou boa noite” demonstra que você tem educação, mas tirar o COmprimento das medidas de alguém pode ser indelicado caso a pessoa não esteja confortável com o seu próprio peso.

– Subir na laje pode ser arriscado, mas subir na “lage” é ortograficamente errado.

Entrar lá dentro, subir lá em cima, descer lá embaixo e sair para fora é pecado, cada vez que alguém pronuncia estas frases pleonásticas, um anjo é obrigado a usar cinta e sapatos caramelo combinando com a cor da pochete. Uma verdadeira tragédia!

BOM é o contrário de mau. BEM é o contrário de mal.
Exemplo: Eu sou um bom garoto, mas se você mexer comigo, posso me tornar um garoto muito mau!
Eu sou muito bem falado por todos os meus amigos, não confie em quem lhe disser que sou mal falado. É intriga da oposição!

– E para encerrar o texto com X, nunca “testo” com S, vou escrever algumas palavras para você ler e deletar do seu cérebro imediantamente através (nunca atravéZ) de um método de hipnotização.

VEM DORMINDO, VEM DORMINDO, VEM DORMINDO… quando eu contar até três, você irá ler as palavras e expressões abaixo e deletá-las da sua vida para sempre, pois elas estão absurdamente erradas. 1, 2, 3 e já:

– voçê, ni mim, beringela, sombrancelha, isqueceu, seje, tomare, menas, ajuntar e… ai se eu te pego.

Jornalista e produtor de conteúdo. Veja mais no site eaiconteudo.com.br.
Post criado 98

5 comentários em “10 dicas para você soltar o verbo sem medo de matar o Aurélio

  1. Felipe, “berigela” é correto, assim como “berinjela”. Apesar de no Brasil usarmos mais com “j”, as duas grafias podem ser aceitas. Tanto que no Houaiss você encontra com “g” e no no Aurélio com “j”.

  2. Na verdade, o lance do porquê não ficou bem explicado. O porquê junto com acento é escrito quando ele está como substantivo, precedido por um artigo. O porquê separado com acento (por quê) é usado no final das frases. (Ex. Não quero saber por quê).

    Porque – Início de frases afirmativas.

    Por que – Início de frases interrogativas.

    Porquê – Substantivo (precedido por artigo).

    Por quê – Finais de frase.

  3. “mas pode estar em frases sem ponto se interrogação, como:…”
    – Já que pediu que o atentasse caso houvesse um erro, ei-lo.

    Beringela/Berinjela: as duas grafias estão corretas. \o

Deixe uma resposta para Gerardo Matos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
A importância do Setembro Amarelo O Pop-Punk está voltando à moda! PEÇAS QUE AS MULHERES ODEIAM NOS HOMENS Old Money: A estética ‘Rico Vintage’ Truques de estilo para homens gordinhos