Vi esses dias uma postagem no Facebook que acho superimportante compartilhar por aqui. Não só por uma quebra de pré-conceito (azul é para menino e cor de rosa é para menina), mas também pelo exemplo de conhecimento de um pequeno garoto.

Esse post foi realizado pela página “Humans of New York” que traz fotos e pequenos fatos que acontecem pela cidade. A foto seria apenas bacana se a mãe não tivesse comentado contando a história desse garoto com seu gesso cor de rosa.

Tradução do comentário da mãe:

“Em Outubro meu filho de 7 anos quebrou o braço. Quando o médico perguntou a ele qual a cor do gesso que ele queria, meu filho orgulhosamente apontou para o rosa. O médico perguntou ‘você tem certeza? Rosa é uma cor de menina’… Meu menininho olhou para o médico e disse ‘Não existe cor de menina ou cor de menino, eu quero o gesso ROSA porque é o Mês do Cancêr de Mama’. O médico ficou vermelho. A enfermeira deu um beijo no meu filho e eu fiquei toda orgulhosa!”

Reflita.






Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.