cabeleireiro homem como escolher barbeiro

Vocês provavelmente já devem ter ouvido várias vezes as mulheres encherem o peito para falar: a minha manicure, a minha depiladora, a minha colorista (a mulher que pinta), o MEU cabeleireiro.

E não é a toa, ou por possessividade, que isso acontece. Por alguma razão, os homens não tem essa mesma relação com os profissionais que cuidam da estética, mas é importante sim para vocês também terem o SEU cabeleireiro(a).

Por que? Porque quando a pessoa te conhece, ela tem liberdade para sugerir cortes que se adaptem melhor ao seu rosto, além de poder falar que vai ficar RI-DÍ-CU-LO o corte que você quis fazer. Ao mesmo tempo, o profissional também vai entender como seu cabelo “funciona”, ou seja, como ele reage a certos produtos, cortes, qual a textura que ele tem e o que fica melhor em você.

Como escolher?

Leve em conta:

1.  Experiência (observe se tem certificados pelo salão)

2. Organização e limpeza do salão (faz parte de um bom profissional estar com tudo em ordem e arrumado)

3. Pontualidade (afinal time is $$$)

4. Observe se ele te dá opções e sugere algo. (fuja daqueles que só querem cortar seu cabelo e que venha o próximo)

5. Preço (um salão muito caro às vezes não quer dizer nada)

Também vale muito a velha e boa indicação de amigos. Viu alguém com um corte legal? Não tenha vergonha e pergunte onde ele corta o cabelo.

Vale lembrar também que, não se acerta na primeira, na segunda, na terceira vez. As vezes é no 15º  que a gente acerta. E que as vezes, o cabeleireiro do seu amigo não é bom para você. O negócio é se arriscar.

Fiquei curiosa para saber se os leitores tem alguma relação com seu cabeleireiro… como vocês escolhem, se vão sempre no mesmo, se cada dia vão num lugar, se cortam com frequência. Contem tudo nos comentários!






Escrito por Erica Hans