homem passando roupa dicas de passar roupa tecidos que não amassam como

Hoje em dia ninguém tem tempo para mais nada. Isto significa que passar horas alisando roupa ou ter que tomar um puta cuidado na hora de se locomover para não chegar todo amarrotado, chega a ser um absurdo. Então nada mais inteligente do que comprar um tecido que não amassa.

Fiz uma pesquisa na rede para entender melhor como funciona essa história. Encontrei a melhor explicação no blog da Oficina de Estilo, que já citamos várias vezes aqui.

Segue o que elas ensinaram:

Todo tecido pode ser feito com fibras naturais ou artificiais/sintéticas. As fibras naturais são o algodão, o linho, a lã e a seda. Esses tecidos são bem confortáveis e flexíveis, duráveis, resistentes, de toque agradável, práticos de manter e todos “respiram” (não dão cheirinho ruim!); mas amassam com mais facilidade e super podem desbotar com o tempo.

Os tecidos feitos com fibras artificiais (tipo viscose, raion, acetato, poliéster, acrílico e nylon) secam muito rápido, são super resistentes e quase não amassam (ótemos para viagens), mas não absorvem a transpiração, dão cheirinho (ixi!) e queimam com super facilidade na hora de passar.

comoloavarrouopa

Sabe aquela etiqueta que vem dentro da peça, grudadinha na costura do lado do corpo? É lá que a gente conhece a mistura de fios que compõe cada peça que a gente compra, até com porcentagens de cada fio na confecção da roupa – sabia?!?? Toda roupa tem obrigação de vir com essa etiqueta, tipo uma imposição do governo e tals. E aí, entendendo a etiqueta, a gente pode avaliar coisas tipo:

* uma peça com maior quantidade de tecido natural sempre é mais fresquinha: no calor, mesmo peças escuras – se feitas em algodão, seda e afins – dão menos sensação de mointo quente do que as sintéticas (que fazem parecer que a gente se enrolou no plástico – nada fresquinho, néam?); e quanto mais tecido natural na composição , mais o valor cobrado pode ser justificado

* uma peça com maior quantidade de tecido sintético é mais quente: então malhas feitas em fios artificiais, bem pro frião mesmo, super aquecem mais (e a gente sempre usa com camiseta de algodão por baixo!) e podem ser bem baratchinhas – o que não vale é pagar super caro por uma peça 100% sintética sabendo que não vai super durar, entende?

* materiais naturais transmitem instantaneamente uma imagem mais elegante e duram bem; materias sintéticos têm questões de manutenção recorrentes e enjoadas de cuidar, tipo bolinhas, enrrugados, cara de velhinhas logo depois das primeiras lavagens, costuras que entortam e tals.

* tudo que tem strech/elastano tem fio sintético na composição; tecido plano (que não estica) pode ser feito de tecido natural ou de tecido sintético; malha (tecido que estiiiiiica, tipo viscolycra, jérsei, suplex, etc etc etc) pode ter porcentagem de tecido natural, mas é quase sempre mointo sintético – e quem ensina a diferença entre tecido plano e malha é a Natália num comentário do blog Fora de Moda (não é ótema essa blogolândia, gente?).

Texto por Oficina de Estilo / Imagens: Getty images

Escrito por Erica Hans