(Foto: Flávio Moraes/G1)

Antes que pedras sejam atiradas contra mim, explico o título. Ele não é a boa e conhecida expressão que descreve o anúncio público da orientação sexual ou identidade de gênero de uma pessoa. O significado aqui é outro: é a chamada para que os homens, independentemente de sua orientação sexual ou identidade de gênero, tirem de seus armários e usem saia.

Como já foi mostrado anteriormente, esta vestimenta possui longa história no guarda-roupa masculino e nunca, de fato, saiu de cena. Engana-se quem pensa que saia é uma peça exclusivamente feminina.

E anteontem, os alunos da USP, mostraram que homens podem, sim, vestir saia. O motivo do uso desta peça de vestuário nas aulas fez parte da manifestação em apoio ao estudante da USP Leste que foi hostilizado por colegas por usar saias.

A minha saída

Por acreditar nas mudanças sociais e conhecer pessoas da San Fran, ou melhor, da Faculdade de Direito da USP, fui lá anteontem (dia 16/05) à noite conferir os looks e conversar com os meninos sobre este protesto.

 Eduardo Sivieri e Matheus Ribas.

De saia longa à minissaia e de cores sóbrias às estampas florais, os homens que estavam utilizando esta peça, era a minoria. E não percebi nenhum olhar estranho ou de reprovação. Esta impressão foi confirmada ao falar com Eduardo Sivieri.

E se todos eles estavam se sentindo bem em usar a saia nas dependências da faculdade, um ou outro ousou sair de sua casa vestindo esta peça e enfrentar os olhares e comentários das pessoas em seu trajeto até chegar à sala de aula.

Um deles foi Matheus Ribas, do 2º ano. Ele contou que enfrentou olhares feios no ônibus e recebeu comentários maldosos na rua. Para ele, é necessário combater este tipo de preconceito, pois “as ofensas tem relação com a homofobia”.

 André Leal e Thales Coimbra.

André Leal disse que, apesar de não ter coragem de usar a saia fora da faculdade por medo de sofrer uma possível agressão, “é preciso ocupar os espaços públicos com esta atitude para mostrar que um homem usar uma saia não faz dele menos homem”.

Thales Coimbra, ex-aluno e mestrando, complementa que o protesto “é importante, porque além da luta por liberdade de se vestir o que quer se vestir, coloca o homem no lugar da mulher”. É entender que “por mais que seja só uma saia, os homens acham que estão humilhando você por causa da sua posição feminina da saia”.

Se o século XX foi marcado por mudanças importantes no guarda-roupa feminino, como o advento do uso da calça, acredito que o século XXI seja a vez dos homens se tornarem mais flexíveis e abertos em relação ao seu vestuário.

Afinal, todos os homens com quem eu conversei falaram que usar saia é mais confortável, dá mais movimento e liberdade no andar.

E você, já saiu de saia hoje?






Escrito por Nana Soma