A revolução não será televisionada, não será no vão do Masp, na Usp e muito menos somente via internet. A revolução será dentro de cada indivíduo e pode ser iniciada na hora da escolha dos nossos candidatos políticos.

Voto eletrônico?

A revolução acontecerá quando a gente não precisar mais invadir prédios, mas sim transformar e inspirar mentes. Você não precisa gostar de política, mas é importante entendê-la. Só assim saberá usar o seu poder de voto!

Ninguém escolheu o atual reitor da Usp, mas escolhemos o político que o colocou lá.

Se eu e um grupo de amigos invadirmos um prédio de uma universidade particular, também seremos tirados de lá a força, nenhuma “desocupação” é feita de forma pacífica… afinal, quem está “ocupando” também está lá a força.
NADA JUSTIFICA A VIOLÊNCIA FÍSICA, isso é óbvio! Nossa polícia é totalmente mal remunerada, mal treinada e paus mandados dos engravatados do poder.

Toda esta história da Universidade de São Paulo, que alguns dizem já estarem de saco cheio, serve para refletirmos sobre os comportamentos sociais, estudantis e de NÓS mesmos.

O que fazemos para melhorar o “sistema”? Eu não me isento disso tudo não, admito que não lembro para quem votei nas últimas eleições, confirmei participar de MARCHAS só pelo facebook, fui em algumas que me decepcionaram (pela falta de organização) e excesso de “auê” da mídia…. mas estou disposto a mudar. Eu vou mudar, para que a sociedade ao meu redor mude também.

Os textos do Gilberto Dimenstein nunca me convenceram, os dos estudantes da Usp que escreveram o que “realmente viram por lá” também não me tocam por inteiro… a violência que estes alunos passaram com certeza foi horrível, mas eles já esperavam por ela, justamente para poderem escrever sobre ela e o quanto somos todos injustiçados.

O Brasil tem memória curta, logo tudo vira piada e o preço do peru de Natal vai ser notícia junto com os preparativos para o Carnaval. Somos bonecos manipulados, mas dançamos felizes. Nossa paixão é pelo futebol e feriados!

Antes tivemos os caras pintadas, hoje temos os “revolucionários” que usam máscaras inspiradas num filme de Hollywood cujo tema é vingança (?). Mas quando tiraremos as máscaras? BRASIL, MOSTRA A TUA CARA!

Não sabemos fazer revolução ainda, somos crianças brigando para saber quem está CERTO e quem está ERRADO, quando na verdade não existe este maniqueísmo. O que existe é a falta de diálogo, falta de equilíbrio, falta de comunicação e acima de tudo, falta de amor: próprio e pelo nosso semelhante ao lado.






Escrito por Felippe Canale
Jornalista e produtor de conteúdo. Veja mais no site eaiconteudo.com.br.