Depois daquele texto que falava sobre “Gostar de rock ajuda na avaliação profissional” do Estadão, aqui está outra matéria, dessa vez da Folha, que comenta sobre quase o mesmo assunto, mas voltado para como as roupas influenciam na ascenção profissional. Confira:

Que o talento é responsável por boa parte da ascensão profissional, não há dúvidas. Mas um fator também entra na balança, ainda que subjetivamente: a aparência. A imagem transmite a atitude do profissional no dia a dia, dizem especialistas.

“Não há traje neutro: você sempre estará transmitindo algo pelo modo de se vestir”, sugere a especialista em marketing pessoal e etiqueta, Lígia Marques.

Tanto roupa quanto acessórios, maquiagem, tatuagens e sapatos comunicam uma mensagem e chegam, muitas vezes, antes das palavras – causando a primeira impressão. “Isso também vale para uma apresentação de negócios, uma entrevista de emprego ou uma reunião”, diz Branca Barão, especialista em comportamento humano.

A composição das peças, contudo, varia conforme a empresa. “Há mercados mais e menos formais em termos de exigências para trajes. O profissional deve perceber em qual caso sua empresa se encaixa e seguir este padrão”, sugere Marques.

Segundo Barão, estar bem vestido significa respeitar o ambiente, os colegas e a própria personalidade. “São essas três coisas que levam diretamente à promoção, quando se é competente”, diz.

CONJUNTO

Apenas vestir-se adequadamente não adianta se o comportamento do profissional não mostra que ele tem responsabilidade para assumir novos cargos.

A promoção, dizem elas, será consequência do esforço, que inclui atualização constante, criatividade e responsabilidade para assumir os resultados que deram certo e os que deram errado. “Só não erra quem não faz. E só quem assume os erros está apto a ocupar um cargo que exige mais responsabilidade”, diz Barão.

O que usar?

• Em ambientes formais, é mais difícil variar a composição – a não ser pela cor da camisa ou do sapato.
• Sugestão das especialistas: costume (terno sem colete) ou calça e blazer, com camisa e gravata.
• Em ambientes mais despojados, se o ambiente permitir, vale investir em calça esportiva e camisa polo ou calça social e camisa de manga comprida.
• Sugestão das especialistas: evitar bermudas, chinelos, sandálias e colares.

Dica do @hmdantas.






Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.