Nos tempos atuais, apesar do “pré” conceito com tratamentos de beleza para homens, vemos um aumento nesse setor, tanto no consumo quanto na divulgação de serviços especializados. No mês passado o Profissão Repórter  fez até uma matéria sobre o tema, lembra?

O fator “se cuidar” é uma das grandes evoluções nesse sentido, seja para se manter saudável (em caso de tratamentos menos agressivos como peeling leve, limpeza de pele e depilação), pra ficar bonito (com tratamentos estéticos e de beleza) e para rejuvenescer (com cirurgias e procedimentos mais agressivos).

As mulheres abriram essa jornada estética muito antes dos homens, mas há uma maior conscientização do sexo masculino em relação aos problemas de pele e o número da procura por tratamentos estéticos tem aumentado muito nos últimos anos, segundo a dermatologista Renata Roxo, diretora médica da Clínica Dermagrupo.

Em uma pesquisa recente da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), mais de 2 bilhões por ano são gastos no Brasil com produtos de beleza masculinos.

  • A estimativa, do estudo, é de que a vaidade masculina movimente cerca de U$ 12 bilhões por ano no mundo.
  • O Brasil é o segundo maios mercado do mundo em vendas de produtos masculinos.

A Dra. Renata também afirma que os HOMENS vem se questionando mais quanto a diversos tipos de tratamentos e são muito mais curiosos que as mulheres querendo saber cada detalhe dos procedimentos. Há ainda aqueles que procuram a clínica por pedido e indicação das esposas.

E dentre as queixas mais comuns no consultório, confira as principais queixas e as soluções:

Calvície

A alopécia androgenética masculina, mais conhecida como calvície atinge principalmente homens a partir dos 40 anos de idade, mas o início do problema pode ser por volta dos 15 anos.

A queda pode ser acompanhada de caspa e seborreia, que também precisam ser tratadas para um melhor resultado. A calvície masculina está relacionada a uma maior sensibilidade dos receptores do hormônio testosterona presentes no couro cabeludo, principalmente na parte anterior e no vértice da cabeça, provocando uma miniaturização do pelo, ou seja, fica mais fino e fraco.

O principal tratamento é o uso da finasterida oral, que pode ser combinado com medicamentos de uso local, como o minoxidil.

No consultório, injeções no couro cabeludo seriadas e o uso de laser de baixa energia podem acelerar a melhora.

Pele oleosa

A pele oleosa e aparecimento de espinhas também levam os homens ao dermatologista com bastante frequência e o tratamento depende de cada caso, incluindo desde sabonetes e ácidos, como o uso da isotretinoína oral e a médica explica que a disciplina no tratamento é muito importante.

É grande a procura por limpeza de pele, peelings químicos e tratamento da cicatriz de acne com laser de co2 fracionado.

Os homens costumam seguir direitinho as recomendações médicas, segundo a Dra. Renata Roxo.

Irritação na barba

Outra queixa muito frequente é a irritação na área da barba, sendo muitas vezes, necessária a depilação a laser na região do pescoço para reduzir o problema.

A Dra. Renata explica que não indica a depilação no rosto todo, pois é muito dolorosa e definitiva.

Uma dica muito útil é fazer a barba usando a lâmina ou o aparelho de barbear no sentido do crescimento do pelo e usar as medicações indicadas por um dermatologista.

Ou você quer ficar assim?






Escrito por Fabio Allves
Paulistano nascido e criado, publicitário na formação, blogueiro de lifestyle e RP de vida. 30 anos de viagens, paixões, inspirações, realizações e conquistas. Podem me achar no facebook, twitter, instagram e snapchat por @fabioallves.