Após ter escolhido alguns dos destaques dos primeiros dias, mais um ” final round” pra vocês do que estava rolando em Paris.

As folhas caindo, pássaros voando, tempestades em zonas pastorais e zonas urbanas inspiraram a coleção de Miharayasuhiro. Destacam-se itens como calças e camisas costuradas ao meio em torno da cinturas; tecidos tech, draping macio, romântico … tantas idéias diferentes tornaram-se magistralmente proferidas por um designer muito subestimado.

Inspirado pelo diretor coreano Kim Ki-duk, a Dior Homme tomou um rumo definitivo para o leste na coleção Primavera 2011. Modelos saem de uma cortina em forma de espiral no centro de uma pista circular e, em seguida descem novamente na espiral (Backstage estava escondido no centro). Túnicas, sandálias e cinturas drapeadas, foram algumas das tendências. O show terminou com uma progressão de incríveis modelos asiáticos, que tinham sido lançados por uma agência do Cazaquistão.

Tudo branco para a primeira parte, tudo preto para a segunda, a mais recente coleção de Ann Demeulemeester foi dividida em duas metades quase idênticas. As roupas em si foram mais duras e sérias, sem o lirismo suave de coleções recentes. Alguns elementos foram aparências arcaicas, sugerindo a camisa de força do sanatório. Outras vezes, futurista. A dicotomia branco / preto sugeria yin / yang, o bem contra o mal. O branco da coleção foi formal e institucional. O preto parecia se rebelar e assumir mais espírito.

Hermès, uma bela coleção de peças simples em uma paleta neutra com branco, bege, cinza e creme … e um pouco de verde. Alguns detalhes desmentiram a dependência na tradição. A camisa foi adaptada como um blazer; logos foram sutilmente borrados e distorcidos. E, claro, os couros foram surpreendentes.

Marcando o seu décimo quinto aniversário, Raf Simons apresentou uma coleção surpreendente que causou muitos comentários. As calças largas, e especialmente costuradas nos joelhos, com alfaiataria dividida pelas costas com um zíper … a idéia era mostrar o funcionamento interno da construção. Algumas peças foram estampadas com palavras emprestadas do filme “Paris is Burning” como “leitura”, “sombra”, e assim por diante. Coleção madura, até que, para o último look, o modelo saiu em um belo, finamente costurado, terno preto de dois botões.






Escrito por Amanda Antunes