A temporada de verão 2014 carioca, que aconteceu dessa vez na Marina da Glória, chegou ao fim. Foram cinco dias de desfiles com as principais marcas que compõem o line up mais badalado do Rio de Janeiro mostrando o seu melhor e o seu pior para as próximas estações. Dentre os desfiles masculinos, destaque para a Reserva, cada vez mais tomando seu lugar de volta à cena descolada e fashion da cidade, R Groove com sua alfaiataria tropical-moderna impecável e Auslander mostrando que é uma marca que vai além das t-shirts com as estampas localizadas que a fizeram chegar ao topo. Hetchcovitch mostrou que o macacão pode sim ter o seu lugar de volta no guarda-roupa masculino e o ponto negativo vai para Coca Cola Cothing que, apesar de mostrar um bom uso de materiais, não sustenta a ideia de criação, trazendo peças extremamente óbvias e sucessos de vendas que todo mundo já conhece. Veja os melhores desfiles sob o ponto de vista do MPH:

R Groove

A alfaiataria moderna, DNA da marca e presente em todos os desfiles conversa muito bem com a tropicalidade cool mostrada por Rique Gomes, estilista. Se antes, o estampado tropical se comunicava através de multicores e desenhos mil, o tropicalismo da vez é minimalista, sóbrio e discreto. O equilíbrio fica por conta da combinação de cores: o preto está ali presente para não correr o risco de errar a dose. A ousadia fica por conta das transparências, uma tendência que em ganhando força para os homens a cada temporada.

Auslander

Com a tradição de fechar a semana de moda carioca, a Auslander ficou conhecida há alguns anos devido suas estampas ousadas e elementos jovens da cultura hipster global. Não trazia nada inovador, mas era algo que faltava na cena alternativa jovem do Rio de Janeiro. Nesse desfile, a marca saiu do lugar comum e mostrou que está mesmo apta a ficar na cena por mais tempo: deu um banho nas estampas que flertavam com o étnico e o geométrico P&B. Além disso, mostrou que é possível combiná-las num mesmo look e usar elementos sportwear para montar um look moderno (vide os shorts de nylon, similar ao de corrida).

Reserva

Nos últimos desfiles a Reserva tem tentado trazer informação de moda em uma grife marcada pelo sportwear. Nas lojas, o que muito se vê são as bermudas de microfibra e camisas polo: já os desfiles estão dando um show à parte. O fato é que a reserva trouxe elementos nada comuns de seu universo e os soube conduzir muito bem sem deixar o DNA de lado. Muito jeans, usados em diversas formas e lavagens, calças chino e bermuda atualizadas para os homens que ainda não aderiram aos shorts. Além disso, os desfiles mais performáticos estão virando tradição.

Hertchcovitch

Já considerado um dos estilistas mais fortes do Brasil, Hetchcovitch trás força para o line up carioca. Inspirado nos trabalhadores das minas de carvão e petróleo e na série de fotos dos anos 70 e 80 de Richard Avedon, que mostra moradores do Oeste Americano, o estilista une muito bem o comercial ao conceitual tanto para o feminino quanto para o masculino. O macacão já visto em duas coleções passadas, não passa imperceptível desta vez: Alexandre insiste na peça, dessa vez menos pesada mas com influencia ainda do militarismo. Enjoy:

E aí, qual o seu desfile favorito?






Escrito por Dhyogo Oliveira
Blogueiro e designer de moda. Também escreve no Sem Geração.