Esse fim de semana foi animado, começamos a maratona de sábado na Green Sunset edição especial com Carl Barât (The Libertines), aquecimento oficial do Cultura Inglesa Festival.

A Green Sunset

Para os apreciadores de uma boa festa, a novidade foi o ex-Libertines Carl Barât mandando muito rock’n’roll na pista e o som mega animado dos DJ Tahira (residente) e DJ Handys Klaus, da Indie Party. Tiveram intervenções artísticas durante a festa do grupo Grite Poesias, destaque para a projeção em mapping e os balões.

Teve pop-up da Tricky Hips também!

Alguns looks:

O Festival

Contou com um line-up super alternativo e assertivo, chegamos por volta das 15h e ainda podia se ouvir The Dark Jokes no palco, entramos com o show da banda Bonde do Rolê que cantaram seis hits da banda homenageada The Cure, entre elas “The Caterpillar”, “Killing An Arab” e “Boys Don’t Cry” e mais algumas músicas próprias. Em seguida tivemos o show super emocionante e bonito da banda The Magic Numbers, com participação especial de Marcelo Jeneci cantando “You Don’t Know Me”, música do Caetano Veloso.

(vídeo de Stephen Budd)

Romeo Stodart, vocalista da banda, mostrou que a banda tem ótimas músicas ao estilo folk/rock, sem deixar de lado a simpatia, bom gosto nas parcerias e nas escolhas do show, como as ótimas músicas “Love’s a Game” e “Shot In The Dark”.

Foto de Marcelo Jeneci by instagram @culturainglesafestival

Kate Nash, headline do festival entrou abraçada por uma bandeira brasileira, aos gritos e palmas do público.

Com uma banda formada por meninas, sua “Girl Band”, como ela mesma disse, cantou sucessos mais antigos como “Oh! My God”, “Mariella” e “Foundations” em meio a muitas músicas novas na pegada punk rock e nos surpreendeu com um bis caprichado de “Birds” e “Nicest Thing”. Uma fofa, deu muita vontade de ter sempre perto.

E os looks dos meninos:

Paul Dennington da banda The Dark Jokes

E o meu:

PONTOS FORTES

Organização, sinalização e assessoria de imprensa;

Local, adoramos o aconchego do Memorial da América Latina;

Line-up (Kate Nash e The Magic Numbers foram super acertivos).

PONTOS FRACOS

Equipamento de som em poucos momentos;

Falta da venda de bebida alcoólica.

Curtiram!?

Fotos: Fabio Allves e Ewerton Oliveira

Agradecimentos: Marcelo Ratsbone, Cultura Inglesa Festival e Edelman Significa.






Escrito por Fabio Allves
Paulistano nascido e criado, publicitário na formação, blogueiro de lifestyle e RP de vida. 30 anos de viagens, paixões, inspirações, realizações e conquistas. Podem me achar no facebook, twitter, instagram e snapchat por @fabioallves.