Escrevi esse texto no Marketing de Cozinha e gostaria de replicá-lo por aqui. Principalmente agora que voltamos com o MPH Gourmet.

Felizmente o mito do “homem na cozinha” foi quebrado. Aquele antigo pré-conceito de que lugar de homem é no escritório e o da mulher é na cozinha está acabando.

O homem moderno, que se preocupa com o seu estilo e é seguro de si, já tem dentro dele a necessidade de ter novos conhecimentos e, acima de tudo, ser independente dentro e fora de casa.

Já existe uma pesquisa que comprova que os homens estão dispostos a aprender mais novas receitas e gastarem muito mais com gastronomia do que as mulheres (isso inclui ingredientes e utensílios para cozinha com valores altos). E uma outra, da Universidade de Michigan, diz que os homens da Geração X passam muito mais tempo na cozinha do que as mulheres.

Seria ousado demais, por minha parte, querer descobrir o que aconteceu com a nova geração de homens e mulheres (geração X e Y). Mas é notável que as mulheres que entraram no mercado de trabalho, começaram a desistir do aprimoramento gastronômico que toda mulher tinha em seus genes (vide nossas mães, avós, etc.) e gerou até uma nova leva de mulheres “rebeldes” da cozinha. Talvez elas lembrem de como eram tratadas antigamente, onde, em sua maioria, viviam na cozinha para impressionar os seus maridos que trabalhavam e queriam a melhor comida na mesa e na hora que eles queriam. E hoje, com a liberdade financeira e os “disk entregas”, elas vivem com o pré-conceito com a cozinha.

Não gosto de generalizar, mas hoje conheço poucas mulheres que sabem e gostam de cozinhar. Colocando em números pessoais, de 10 garotas que conheço, 1 gosta de cozinhar. E isso inclui um índice mais assustador ainda, novamente pessoal, todas as minhas ex-namoradas (que eu considero muitas) ODIAVAM cozinhar, isso quando sabiam fazer alguma coisa.

Novamente, não estou generalizando e muito menos sendo machista. Acho sensacional quando uma mulher cozinha e até prefiro. Acho que são mais práticas e conseguem fazer o mix de cozinhar + limpar ao mesmo tempo, que nenhum homem tem o dom. Rs

Mas talvez esse “deficit” de garotas na cozinha, tenha criado a necessidade no homem de ir para esse novo ambiente e fazer a sua própria comida, com o seu estilo.

Faça uma pesquisa entre o seu círculo de amizades (não vale se você estudar ou trabalhar com gastronomia, rs), com certeza, deve ter vários rapazes que devem gostar de cozinhar, ou, pelo menos, sabem fazer um prato com o seu estilo.

Quando você toca no assunto, você descobre que alguns sabem fazer coisas maravilhosas na cozinha. Eu tenho feito esse teste, até porque eu adoro cozinhar e sempre falo sobre gastronomia, harmonização, mixologia, etc.

Na equipe do MPH mesmo, muitos dos rapazes cozinham muito bem.

E é interessante notar como existem os “toques pessoais” nos pratos que os rapazes fazem. Diferente das garotas que conheço, que na maioria dos casos seguem à risca o MODO DE FAZER das receitas, eles gostam de fazer à sua maneira.  Até no sal gostam de se diferenciar, “sal de flor”, “sal marinho”, a última foi um amigo que apareceu com um “sal do himalaia” para fazer um prato (ele deu até o seu sobrenome para o prato).

Colocando outra história particular, que me ajudou a evidenciar ainda mais esses pensamentos. Outro dia, num ônibus, indo para um evento com vários jornalistas (homens e mulheres) fizemos essa pesquisa de quem gostava de cozinhar e acreditem, mais do que a metade dos homens gostavam de cozinhar e NENHUMA mulher dizia gostar. Algumas deram até a ênfase no “ODEIO cozinhar”. E o interessante é que nenhuma também conhecia a “flor de sal”, que um dos jornalistas dizia ser seu toque gastronômico.

E são esses novos homens, com suas frescuras e também suas tatuagens, que estão criando um novo cenário gastronômico, tanto na sua casa quanto no mercado da alta gastronomia. Um novo mito foi criado, “A mulher moderna na cozinha”, que um dia também será quebrado. E nesse dia as mulheres, com certeza, darão a volta por cima e com grande estilo.

Por enquanto, deixe com a gente.






Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.