Quando falamos em suplementos não estou incluindo os anabolizantes, que infelizmente são muito utilizados, mais sim de produtos que agem na forma de suprir ou complementar no organismo algo que falta, aquilo que o individuo não consegue no seu dia-a-dia através da alimentação atingir de acordo com a recomendação para seu organismo.
Nós temos no mercado os suplementos químicos, que estão inseridos ingredientes como fármacos e medicamentoso e temos os suplementos naturais.

Geralmente encontramos utilizadores desses recursos nos frequentadores de academias de ginástica. Esses são indivíduos com alto nível de escolaridade em sua maioria, com motivação e recursos para a prática de atividades físicas e para uma alimentação saudável e com acesso a informações sobre nutrição e atividade física.

Enfim, suplementos podem ser definidos como produtos feitos de vitaminas, minerais, produtos herbais, extratos de tecidos, proteínas e aminoácidos e outros produtos, consumidos com o objetivo de melhorar a saúde e prevenir doenças.

Apesar de a American Dietetic Association (ADA) afirmar que a melhor estratégia nutricional para a promoção da saúde e redução do risco de doença crônica é obter os nutrientes adequados através de uma alimentação variada. E é isso que o nutricionista defende e muitos não entendem quando entram em nosso consultório e não prescrevemos um suplemento junto da dieta.

Criou-se uma ideia errada na população de que começando a malhar em um espaço curto de tempo aparecerá grandes músculos, aparência de “forte”, tudo pensando na estética. Na verdade precisamos sim pensar no estético, no bonito, mas precisamos conscientizar de que saúde é mais importante e daí sim, beleza aliada a isso fica perfeito. Considera-se apropriado o uso de suplementos de vitaminas e minerais quando evidências científicas bem aceitas e revisadas demonstram segurança e eficiência em seu consumo e quando o profissional identifica que o paciente não está conseguindo, pelo seu organismo, suprir suas necessidades diárias energéticas e de micronutrientes necessárias para a sobrevivência somente com a alimentação.

Cada dia mais as pessoas acreditam que a saúde seja comprável, sendo a venda de
suplementos dietéticos crescente. O problema acontece onde identificamos que milhares de “suplementos” são comercializados com a falsa promessa de aumentar a energia, aliviar o estresse, aumentar a performance atlética e prevenir ou tratar inúmeros problemas de saúde, pois muitos destes produtos não têm o efeito prometido no rótulo comprovado por estudos científicos, como demonstram.

Mais uma vez vemos a importância da procura dos especialistas em nutrição, pois são esses que tem um papel ativo, ajudando consumidores a reconhecer as informações erradas e prejudiciais.

Nossa preocupação seja com o famoso aminoácido, albumina ou qualquer outro suplemento mesmo sendo natural é que, nem sempre o individuo se exercita ou gasta de alguma forma toda a energia que consome. Energia acumulada consequentemente vira gordura. E o que é pior, gordura ruim. E daí ocorre às chances dos aumentos de taxas sanguíneas que atualmente pode não fazer a diferença, mas daqui a uns anos isso poderá fazer grande diferença. Geralmente suplementação é para quem necessita. Quem no mínimo faça mais de uma hora e meia de exercício físico. Daí solicitamos o aumento da ingestão hídrica (beber mais líquido), pois os rins são um dos primeiros a ficarem mais sobrecarregados e junto com ele o fígado. Pensem bem o que tudo isso pode causar futuramente, por isso nossa preocupação com o futuro.

Ponham a mão na consciência rapazes, é diferente uma pessoa que está passando por problemas de saúde, uma depressão, problemas psicológicos e por isso não se alimentam bem e indicarmos um suplemento para suprir o que ela não está ingerindo devido ao seu caso.

Outra situação é um atleta que malha mais de uma hora e meia por dia intensamente, várias vezes na semana ainda treina o seu esporte de quatro a oito horas por dia chegando a necessitar de cinco ou seis mil calorias no dia. Esse atleta dificilmente irá conseguir se alimentar com toda essa necessidade calórica é uma quantidade de comida muito vasta daí sim procuramos com acompanhamento o suplementar.

Agora, um individuo com vida normal, que vai a academia malhar poucos minutos do dia e no restante dele trabalha sentado, mesmo que andando não teria uma necessidade como de um atleta nem o problema de alguém que não se alimenta por algum problema de saúde. Então para que suplementar se podemos ingerir os nutrientes necessários através de uma das formas mais saborosas da vida que é comendo?

Pensem bem, reflitam, não sabemos de nosso futuro e uma enfermidade genética que o organismo pode manifestar com o tempo de vida, hipertensão, renal, pode ser melhor controlada se o organismo não estiver sobrecarregado pelas atitudes impensadas quando mais novos, de um determinado produto que usa-se. Não digo isso somente sobre uso de suplementos, agora sim incluo os anabolizantes que são bem piores nas reações que provocam no individuo.

Finalizando fica a explicação dos suplementos, o porquê nem sempre o nutricionista o indica e os males que possivelmente ele pode trazer se não for prescrito e usado com a orientação e acompanhamento de um profissional.

Esta em duvida se deve usar? Procure o NUTRICIONISTA, converse, explique, discuta o assunto e chegarão a uma melhor decisão para seu organismo.

Aos malhadores que querem músculo, é isso mesmo. Malhar, malhar e malhar. Procurar um bom educador físico e ir mudando sua rotina junto com a intensidade do mesmo. Nada de meses e sim tempo para atingir esses resultados. Assim estará aliando a beleza e a saúde.

Reforço que não sou contra o uso dos suplementos, pelo contrário eles estão no mercado para serem utilizados, serem auxiliadores, desde que sejam utilizados com consciência, da forma correta e quando realmente necessário.

Chega de colocar a beleza a frente da saúde, pense nisso.






Escrito por Ricardo Freire