Você ficou horas tentando escolher com qual roupa iria sair, montar o look, isso porque antes já havia passado em alguma loja e gastou o possível e impossível só para ouvir de alguém “Nossa, que roupa linda! Nunca tinha visto em você… é nova?“. Sim, até usou a tática de mesclar uma peça do fundo do armário junto com aquela que é novidade, uma marca que nem precisamos revelar o nome. Usou secador, pomada e até laquê no cabelo, mesmo se sentindo uma senhora de Higienópolis. Se olhou mais de 37563928365538264 vezes no espelho e repetia para si mesmo “eu nem mesmo gosto de moda, apenas quero me sentir bem comigo mesmo“. Saiu, viu os amigos, conheceu pessoas, dançou, beijou e a noite nem valeu a pena, dinheiro ou horas investidas.

Teve aquela outra vez também em que você saiu direto do cursinho, faculdade ou trabalho e foi parar, sabe-se lá como, em uma festa, mesa de bar, balada ou companhias incríveis, nas quais tudo valeu a pena. Foi bem aquele dia em que a sua única preocupação com a aparência foi ter escovado os dentes e passado desodorante antitranspirante, ou seja, zero de vaidade.

Quando eu ando pelas ruas, as pessoas que mais chamam a minha atenção são aquelas que não consigo identificar de onde ou qual ano elas saíram. Isso porque elas chamariam a atenção em qualquer país ou época do tempo. Geralmente elas são únicas, não se parecem com ninguém e tornam-se inesquecíveis, mesmo que você nunca mais as veja. Eu também costumo reparar (e esquecer depois de alguns segundos) naquelas pessoas que parecem terem saído de algum editorial da revista da semana passada, ou as que poderiam ocupar os lugares dos manequins das lojas. Acho ótimo quem lê, pesquisa ou se interessa por moda, mas desde que não interprete as tendências como uma ditadura.

E olha, vou ser sincero! As pessoas mais interessantes que eu já vi estavam peladas. Antes de questionar qual roupa você vai usar, dê mais atenção para qual imagem a sua personalidade anda refletindo sobre você. Educação, simpatia, caráter e desejar fazer o bem são comportamentos que nunca saem de moda ;)

Seja você mesmo e sinta-se confortável com a sua própria pele, a roupa que você usará a partir daí será uma questão de escolha e atitude.

(A cada comentário dizendo que é fácil estar pelado tendo um corpo como os da foto, uma professora de interpretação de texto do primário cairá dura no chão).






Escrito por Felippe Canale
Jornalista e produtor de conteúdo. Veja mais no site eaiconteudo.com.br.