Continuando o assunto, aqui está uma dica que todo amante de um bom vinhos tem que saber.

Decantar o vinho implica, simplesmente, a passagem do vinho para outro recipiente, seja de cristal ou vidro, chamado de decanter ou decantador.

Por que decantar o vinho?

Há pouco tempo atrás, antes dos vinhos serem rotineiramente filtrados até um estado límpido (cristalino), era comum ainda conterem um considerável grau de partículas sólidas – sedimento ou borra – ao saírem dos barris de fermentação. Para evitar que esse vinho de mesa tivesse uma aparência insípida ou turva era quase que uma norma deixar o vinho em descanso em um recipiente apropriado (de cristal ou vidro). Com a necessidade de um recipiente adequado é que foi desenvolvida uma elegante variedade de decanters.

Vinhos mais velhos – principalmente os tintos – que estão há vários anos engarrafados, criam sedimentos chamados vulgarmente de borra. Não apenas esses sedimentos são desagradáveis aos olhos mas também contribuem de forma negativa para o paladar. Vinhos que apresentem esses sedimentos devem ser, obrigatoriamente, decantados.

Vinhos jovens também se beneficiam com a decantação, no entanto a meta não é a de retirar os sedimentos mas sim a de fazer com que entrem em contato com o ar, suavizando os taninos, diminuindo o teor alcoólico e liberando os aromas.

Vinhos brancos não devem ser decantados.

Como decantar?

Primeiramente, retire o vinho de onde esteja armazenado (se armazenado corretamente deve estar deitado em um local seco, fresco e sem muita luz). Caso você acredite que a quantidade de sedimentos será grande recomenda-se colocar a garrafa na posição vertical um ou dois dias antes de ser consumida para uma pré-decantação, fazendo com que os sedimentos concentrem-se no fundo.

A decantação deve ser efetuada cerca de meia hora antes do vinho ser servido, isso porque no caso dos vinhos antigos ela acelera a evaporação dos aromas. Uma “respiração” curta é o suficiente para libertar e, consequentemente, “abrir” o bouquet depois de tantos anos “fechado”. Uma vez aberta a garrafa, limpe o gargalo para retirar qualquer resíduo e comece a verter o vinho para o decanter. O processo de decantação deve ser feito num único movimento contínuo, ou seja, durante a decantação a garrafa começa na vertical e inclina-se suavemente – mas continuamente – para a horizontal, sem nunca parar a inclinação e muito menos inverter o movimento. Não se preocupe caso não atinja uma transparência cristalina, um pouco de sedimento não é tão considerável, desde que suas partículas visíveis tenham sido removidas.

Fonte: Wine Society.






Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.