Nas últimas semanas uma grande personalidade trouxe a tona o assunto das enfermidades que envolvem a glândula da tireoide, sendo esse o assunto do momento, iremos falar de Hipotireoidismo e Hipertireoidismo, já que são disfunções que estão diretamente ligadas ao metabolismo influenciando no ganho ou perda excessiva de peso.

A tireoide produz três hormônios: T3, T4 e calcitonina.

T3 e T4 tem uma função diferente da calcitonina. Os hormônios triiodotironina (T3) e tetraiodotironina (T4), tem a função de regular o metabolismo do individuo. Quanto mais desses hormônios eu possuo, maior será minha taxa metabólica.

Como acontece a regulação da produção desses hormônios?

Quando eu tenho a baixa concentração de T3 e T4, essa baixa concentração é percebida pela hipófise, mais especificamente pela adeno-hipófise, que é a porção anterior dessa glândula. A adeno-hipófise vai liberar o hormônio chamado de TSH que é o hormônio estimulador da tireoide. E esse vai estimular a glândula a produzir mais T3 e T4, então há um aumento dessa produção e agora os níveis de normalidade são estabelecidos.

Em algumas pessoas, esses níveis de normalidade não conseguem se manter, devido a uma hipofunção da glândula ou uma hiperfunção da mesma. No caso da hipofunção temos uma produção abaixo do esperado desses hormônios, o individuo portando vai ficar com o metabolismo mais reduzido e ele vai ter como sintomas cansaço, diminuição da temperatura corporal, ele tende a obesidade e os sinais físicos que pode aparecer é a hipertrofia da glândula chamada de bócio cientificamente, vulgarmente conhecida como papeira. Esse era chamado de bócio endêmico, por que era tipico de pessoas que viviam em regiões afastadas do mar. Quando se vive longe do mar, se tem uma ingesta reduzida de iodo. Como percebemos pelo nome do hormônio, triiodotironina, tetraiodotironina, eles precisam de iodo para serem produzidos. Pessoas que tem essa ingesta abaixo de iodo, portando, tem uma baixa produção desses hormônios e a glândula hipertrofia na tentativa de compensar essa baixa produção.

Na hiperfunção da glândula será produzido mais hormônios do que deveria. É o oposto do hipotireoidismo, então chamamos agora de hipertireoidismo. O excesso desses hormônios acelera o metabolismo, o individuo fica mais agitado, aumenta a temperatura corporal – que é acompanhada de sudorese na tentativa de regular essa temperatura – ele tende ao emagrecimento e também pode ocorrer a hipertrofia da glândula, porém agora esse bócio é chamado de bócio exoftálmico por que ele também é acompanhado da protuberância dos olhos.

O outro hormônio produzido pela tireoide é a calcitonina e ela está regulando a tireoide à concentração do calcio sanguíneo quando libera esse hormônio. A calcitonina, vai regular a concentração de calcio quando ela está elevada no sangue, estimulando a atividade dos osteoblastos na mineralização da matriz óssea, também reduzindo a reabsorção renal de calcio, para que ele seja excretado na urina e reduzindo a absorção intestinal de calcio, para que eu não tenha tanto calcio passando para o sangue já que é necessário reduzir essa concentração que está elevada.

Podemos resumir então que os hormônios produzidos pela glândula tireoide são responsáveis por controlar o metabolismo, que é a velocidade com a qual o organismo gasta energia. Eles influenciam várias funções vitais, desde a frequência cardíaca até a digestão. Por isso toda disfunção relacionada a esse processo influencia na saúde d individuo, principalmente o que diz respeito a peso corporal.

A nutrição vem auxiliando pessoas que sofrem desses distúrbios com dietas que atendam a real necessidade do gasto enérgico do individuo de acordo com formulas e cálculos introduzindo idade, altura, peso, tipo de atividade entre outros dados que o mesmo pratica. Toda a vida do paciente é analisada e orientações são passadas de acordo com a necessidade, principalmente quando o metabolismo está em queda e com isso a escolha de alimentos menos calóricos, de melhor digestão, de fácil quebra e absorção são necessários. Deve-ser evitar água clorada, sucralose, suco verde, soja, e dar vazão a água mineral, quinua ou amaranto, grãos integrais, alimentos naturais, abundância de frutas e vegetais e uma boa dose de frutos do mar e proteína de carnes magras.

Alguns alimentos também podem auxiliar no estimulo da glândula tireoide a produzir ou reorganizar sua produção dos hormônios como por exemplo: leite, castanha do pará, algas, frutos do mar, peixes de água salgada e gema de ovo.

Os cuidados com a alimentação nesses casos é de extrema importância, pense nisso e cuide de sua saúde.






Escrito por Ricardo Freire