Pessoal, muitos aqui do MPH sabem que para seguir um critério masculino de vestimenta a roupa não vale tanto quanto a atitude.  Porém a vestimenta é a nossa segunda pele, e por isso temos sim que dar importância.  Quando nos vestimos existem razões, ocasiões e influências que nos levam a fazer o que fazemos.

Existem dois tipos gerais de roupas masculinas:

Primeiro, há roupas para consumo público: Vestuário que transmite uma mensagem elevada sobre si mesmo. Estes são os tipos de roupas que você veste para trabalhar, para a loja, na cidade, em um casamento, na igreja, em festas, ou onde quer que as pessoas vão vê-lo. O objetivo principal aqui é que você esteja apresentável, civilizado, um cavalheiro.

O outro tipo de vestuário é o que serve o propósito puramente funcional, isto é, aquele que você usa para o trabalho em casa, consertando seu carro, uma noite em casa, um sábado lavando a casa, ou limpeza, ou apenas passear no parque com as crianças . Todo mundo sabe que tipo de roupas são.

O grande erro de vestir no nosso tempo, é confundir as duas coisas. Ou mais precisamente: as pessoas acham que é perfeitamente razoável para se apresentar aos outros em roupas que servem um propósito puramente funcional. Eles dizem que isso é bom porque é confortável – como se a única coisa que importa na vida é o conforto. Bem, também não é confortável fazer a barba e não tomar banho.

Se homens (e mulheres) entendessem melhor a separação da funcionalidade das roupas muitas sociedades seriam diferentes.  Boas maneiras, bom gosto e respeito talvez retornem, porque o visual tem um poder banalizado pela sociedade, mas acreditem, faz toda a diferença.






Escrito por Amanda Antunes