Há uma semana, o músico-ator-ourives AND estilista Fause Haten lançou sua linha ampla de roupas masculinas, quase como uma nova marca que leva seu nome. A necessidade de encontrar roupas “interessantes”, que geralmente só aparece de seis em seis meses nas passarelas e esquecem de marcar presença nas lojas físicas, segundo o estilista, foi um dos impulsos para criar as peças masculinas, que são variantes do gosto pessoal dele. Para a primeira coleção, Fause cria peças que unem o streetwear à alfaiataria, estampas exclusivas e aplicações de outros tecidos, tudo num trabalho quase artesanal.

Tanto as tendências que o designer usou nessa primeira coleção, como o mix de estampas, o floral, a misura texturas nos tecidos e a presença de padronagens e símbolos marcantes (vide o paletó listrado em P&B e o uso excessivo de estrelas em contraste), remete a uma moda  com referências do streetwear universal e feita, sobretudo, para o jovem. Exceto pelo preço, que certamente não foi pensado para nós que, mesmo conquistando a independência financeira tão cedo, pensa duas vezes antes de pagar R$498 num shorts com estampa de estrelas ou R$268 em uma regata de malha com patches (mesmo que este seja de seda), como sugere sua loja online.Entre as peças básicas há a camiseta de malha com a aplicação de âncora (símbolo já bem manjado na moda) a R$298,00 e entre o grupo de peças com os preços mais altos, há uma camisa, uma calça de malha e seda (oi?), dois modelos de paletós e uma casaco de paetês (certamente de poliéster, pois do contrário, a composição estaria informada do site), a R$790,00 (isso mesmo, as mesmas peças pelo mesmo preço).

Certamente a maioria das peças estaria no meu guarda-roupa, isso se eu (e você, caro leitor), estivéssemos incluídos nessa “molecada que não segue a moda”, a quem se destina a coleção, segundo o próprio estilista. A proposta é boa, sem dúvidas, as peças são possíveis de ser usadas, a não ser pelos preços salgados e sem muito sentido. Apesar de todo o trabalho manual e de tecidos nobres, o preço não justifica, principalmente se a coleção é pensada para o universo jovem atual. Fause utiliza seu nome como marca estabelecida no mercado para agregar valor às peças. Prova disso são os cinco modelos diferentes que têm o mesmo preço. Daí fica a pergunta: como a equipe comercial chegou nesse valor único? É um caso a se pensar. No mais a coleção é bonita e, apesar de nada inovadora, preenche uma lacuna em branco na moda masculina, mesmo que seja apenas apenas nas vitrines virtuais.

E você, acha que o preço vale o produto? Comente com a tag #ConsumoConsciente!






Escrito por Dhyogo Oliveira
Blogueiro e designer de moda. Também escreve no Sem Geração.