fashion-revolution

Nós sempre falamos sobre esse grande problema que assola o universo da moda: a escravidão.

Hoje passei em frente de uma ação bem bacana da Fashion Revolution Brasil em parceria com as ONGs 27 Million BrasilSTOP THE TRAFFIK e o Ministerio Publico do Trabalho de SP, localizada embaixo do prédio da FIESP na Av. Paulista, em São Paulo.

O objetivo da instalação “Fashion Experience” é sensibilizar e conscientizar os consumidores quanto às situações análogas à escravidão e os impactos ambientais escondidos na indústria da moda.

Quando você entra nessa vitrine falsa, criada para gerar curiosidade em quem está passando por lá, você tem um contato com uma outra realidade, sendo exposto a dois momentos de sensibilização: reflexão/conscientização e mobilização/atitude.

A ação também acredita na importância da fomentação de uma cadeia de produção sustentável, transparente e socialmente justa para todos os envolvidos, uma vez que catástrofes sociais nas cadeias de fornecimento da indústria têxtil persistem em várias partes do mundo, inclusive no Brasil.

Já é do conhecimento o cenário de violações de direitos a que trabalhadores da indústria do vestuário são submetidos: o trabalho escravo, as péssimas condições de segurança nas oficinas de costura e a remuneração, ainda muito inferior à necessária para garantir condições mínimas de sobrevivência. Além do fator humano e social, o atual modelo de negócio, conhecido como fast-fashion, traz graves consequências para o meio ambiente.

O elevado e acelerado ritmo de produção e consumo de vestuário e acessórios (geralmente a preços baixos) aumenta consideravelmente o gasto de água, energia e materiais químicos tóxicos, provoca uma significativa pegada de carbono, degrada o solo, usa irracionalmente recursos naturais e gera resíduos e poluição. O Fashion Experience deseja incentivar a sociedade a pensar sobre as origens das roupas e a repensar sobre os hábitos de consumo.

Vale a pena visitar a instalação e participar dessa campanha! Mas corre que só vai até dia 4 de fevereiro no vão da FIESP, na Avenida Paulista, 1313 em São Paulo, das 9 às 19 horas.

Crédito da foto: Bia Tabosa.

Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.