Cálculo de IMC

Como vão blogueiros de todo país?

Estou de volta para darmos continuidade ao nosso assunto. Na última vez fui mais objetivo com intuito de dar uma balançada em todos para reflexão.

Continuando nossos assuntos sobre nutrição, diante de tudo o que já comentamos até aqui, sabemos que são usados métodos para analisarmos o paciente e chegamos a uma conclusão que o estado nutricional do mesmo basicamente é dividido em três. Baixo peso, eutrófico (normal) e sobrepeso. Lembrando que dentre esses existem outras classificações mais que não são necessárias serem comentadas aqui. Para fácil entendimento vamos usar esses três.

E dentre os métodos utilizados que são muitos o mais comum, que é mais interessante citar aqui no momento pra uma discussão é o famoso IMC.

Quem não já ouviu falar nesse termo, IMC? O próprio editor do blog Gui Cury me pediu que falasse um pouco desse assunto. Ainda existem dúvidas sobre esse método e hoje falaremos um pouco dele para se situarem e não ficarem tão perdidos quando ouvirem sobre o mesmo e forem consultados por um profissional.

O termo IMC é a sigla utilizada para falarmos de Índice de Massa Corporal (BMI em inglês). O mesmo é o cálculo que leva em consideração o peso corporal e a altura da pessoa. O resultado ajuda, a saber, se a pessoa tem um peso baixo, normal ou se pelo contrário tem peso a mais.

O IMC é calculado dividindo o peso (em kg) pela altura ao quadrado (em metros).
Exemplo:

– O Rafael pesa 68 kg e mede 1,78 m;
– então se divide o peso em kgs, pela altura ao quadrado;
68 : (1.78 x 1.78) =
– 68 : 3.1684 = 21.5

O IMC do Rafael é de 21.5

De acordo com vários pesquisadores se chegou a uma tabela que utilizamos para usar como referência para classificarmos a atual situação do individuo.

Peso baixo = inferior a 18.5
Peso normal = entre 18.5 e 24.9
Peso a mais = entre 25 e 29.9
Obesidade = 30 ou mais

Então Rafael citado como exemplo acima está com o peso no nível normal.

OBS: Não usamos somente esse método nem nos baseamos somente nele, na maioria das vezes é utilizado mais emergencial e para um primeiro diagnostico rápido.

Os especialistas relacionam a obesidade com um risco mais elevado de sofrer várias doenças entre elas doenças do coração. É importante notar que não se leva em consideração a massa muscular quando se calcula o Índice de Massa Corporal. Exemplo, no caso de um atleta pode obter um resultado identificando peso a mais, porém nesse caso esse peso a mais é de massa magra e muscular que esse atleta possui. Por esses e outros casos não podemos apenas nos basear pelo IMC.

O Índice de Massa Corporal é reconhecido como padrão internacional para avaliar o grau de obesidade, mas não se aplica a atletas, crianças e mulheres grávidas ou a amamentar e é um aliado de outros métodos para diagnosticar o estado nutricional de um individuo.






Escrito por Ricardo Freire