A história dos charutos está associada ao uso do tabaco, onde os primeiros a cultivarem a planta foram os maias da península de Yucatan, no México, e em algumas partes da América Central. O uso do tabaco rapidamente se espalhou entre outras tribos, tanto ao norte quanto ao sul. E só quando Cristóvão Colombo realizou a famosa viagem para as Américas em 1492 é que o resto do mundo veio a conhecer o tabaco e o seu uso em charutos.

Hoje os charutos podem ser adquiridos em sua tabacarias ou charutarias, em eventos de degustação, em Free-Shops de aeroportos e até pela Internet. Existem modelos nacionais e internacionais, sendo os mais famosos e cobiçados, os Cubanos.

Seu consumo está associado com status, estilo e prazer de alto nível social e econômico. A degustação de charutos favorece os encontros e as conversas, pois a ato de degustar o charuto requer um tempo especialmente dedicado a ele, permitindo a descontração e a aproximação das pessoas.

Degustando o charuto

Charutos são degustados em diversas ocasiões, almoços e jantares de negócios, mas principalmente entre amigos. A ocasião mais especial e tradicional é no nascimento de um filho, onde são distribuídos charutos para todos convidados – que fumam – e geralmente de marcas conhecidas. Batizados e Casamentos também são ocasiões que celebram este sofisticado costume.

Não existe um prato ideal para anteceder a degustação de um charuto, o charuto serve como complemento à refeição. Porém, alguns petiscos podem ser associados durante a degustação, como no caso de eventos e reuniões.

Bebidas recomendadas como acompanhamento e armonização durante a degustação: cognac, armagnac, grappa, whisky, cerveja artesanal, vinho do porto, tequila e especialmente o rum que é apropriado para limpar o pálato bucal, permitindo a degustação de outro charuto sem atrapalhar o sabor caso seja diferente.






Escrito por Guilherme Cury
29 anos, taurino, blogueiro e músico nas horas vagas. Criou o MPH há 7 anos com o objetivo de trazer as principais novidades do universo da moda masculina para o homem que se importa com o que veste.