Você acorda, sente algumas dores no corpo, a cama ainda gira como se fosse um carrossel e você sente um gosto amargo na boca. Olha em volta, tudo parece bem e você sente-se aliviado por estar no seu quarto. Faz um pouco de esforço e se lembra que chegou de táxi ou de carona com algum amigo em casa. Ufa! Dá uma leve risada e após alguns segundos uma forte lembrança bate na sua cabeça como se fosse uma panela de pressão: “PQP, eu causei na festa da firma!“.

Há várias maneiras de se causar em alguma confraternização da empresa. Eu, modestamente (mãe, juro que não me orgulho disso), já passei por algumas situações que nem mesmo a amnésia alcoólica conseguiu apagar. Abaixo, listei algumas delas e também recorri a fatos que já presenciei dos colegas de trabalho. Não vou revelar nomes, datas e nem das quais fiz parte, por motivos óbvios, é claro.

1- A festa tem piscina? Sempre tem alguém que pula! A festa acontece na parte da noite e o traje é social? Não importa, alguém vai pular mesmo assim.
2- O cara do RH beijou a secretária, a gerente de marketing pegou o office boy, a atendimento casada pegou o estagiário, o chefe pegou a prima desconhecida de sabe-se lá quem a trouxe e, no final, todo mundo pegou tudo mundo. 
3- Open bar? Não sei lidar com isso e boa parte da humanidade também não. Cada um pagando o seu próprio drink? Mesmo assim, as vezes a gente fica rico ao beber e acaba enchendo a lata, mesmo que seja no bar ao lado do trabalho.
4- A situação 2 não é tão vergonhosa assim, afinal, se todo mundo catou todo mundo, ninguém falará de ninguém. O problema é quando você dá uma investida na pessoa e descobre que ela já é comprometida ou simplesmente te dá um fora. Deu em cima da esposa ou namorada do chefe? Volte 2 casas e perca uma rodada.
5- Eu tenho um amigo (faço questão de deixar claro que não fui eu) que gorfou em umas 3 pessoas da empresa durante um coquetel de abertura de uma exposição. Até hoje ele é lembrado por ter dito aos presentes na ocasião: “Eu faço questão de lavar a roupa de todos vocês, podem me entregar, que na segunda-feira eu trago tudo limpinho e passadinho, cheirando a amaciante.”
6- Lembra da tal piscina? Então, além de dar um tchibum, algumas pessoas adoram arremessar os colegas de trabalho na água! Ah, quantos aparelhos de celular se se perderam assim! No dia seguinte ouvimos os lamentos: “Juro que não sabia que você estava com o celular no bolso, me desculpe! Ele tinha segura?”.
7- Alguns jovens também adoram fazer uma fumaça onde não se deve. Seja um cigarrinho escondido no banheiro ou ouvindo um reggae na rua, estacionamento ou onde for. E sempre tem a dona Judite, uma senhora que faz parte da Associação da Moral e Bons Costumes do bairro que vê tudo e depois avisa alguém. Ficou queimado por ter fama de Bob Marley? “Baby don’t worry…”.
8- Você perde o amigo, mas não perde a piada? Pois tem gente que perde o amigo, três dentes da frente,  80% da visão do olho esquerdo e até o emprego, mas não perde a piada. Fazer comentários engraçadinhos pode fazer você se arrepender no dia seguinte. Mesmo que você beba muito, seja piadista com moderação.

Mas o que fazer no dia seguinte?

Passar no RH e assinar a sua demissão por justa causa. Não, to só brincando :)

– Se você acidentalmente ofendeu alguém, peça desculpas. Fingir que nada aconteceu é pior e pode gerar um mal estar entre as pessoas.
Agradeça a quem cuidou de você, pois sempre tem um anjo ou querida que surgem com uma coca-cola, chocolate, copo de água, barrinha de cereal…
Tente não se sentir envergonhado, afinal, todo mundo já passou ou vai passar por isso uma, duas, 3, quatro, cinco ou 6 vezes na vida. Mas poxa, pega leve e fique esperto na próxima vez! Como diria Bezerra da Silva, “Malandro não vacila”.

E você, já causou ou conhece alguém que já tenha causado no happy hour ou festa da firma? Comente.






Escrito por Felippe Canale
Jornalista e produtor de conteúdo. Veja mais no site eaiconteudo.com.br.