Se há um momento na história que a gente pode chamar como o mais moderno de todos, não resta dúvida que esse momento vai de 1960 à 1969. A década de 1960 teve grande importância para o que conhecemos de “moderno” hoje. Ela voltou de diversas maneiras e nesse post você vai entender o porquê.

É nesse período que, pela primeira vez, os jovens foram vistos e percebidos pela sociedade (não à toa, a década seguinte, 1970, foi marcada pelas tribos urbanas). A moda, pela primeira vez, olhava para o que vinha das ruas – de Londres. Não só a moda, mas a sociedade no geral, e a esse movimento foi dado o nome de modernismo (ou mood). Eles eram irreverentes, iam ao oposto do que era esperado por todos e usavam o que havia de mais novidade na época.

Sabe os hipsters? Qualquer semelhance é mera coincidência.

Abaixo, Veruschka, 1968. Qualquer semelhance com Lady Gaga também é mera coincidência.

Nas artes, tanto a pop art quanto a op art (trata-se de uma pop art com ilusão de óptica) foram movimentos neo modernistas marcado por suas cores contrastantes e formas expressivas. Foi o primeiro movimento artístico que trazia a massificação da cultura popular capitalista lideradas po Andy Warhol, que também está em voga atualmente e é referência para muitos artistas atuais. Veja as imagens mais marcantes abaixo.

Na música, The Beatles se formaram exatadamente em 1960 e durou até 1970, ou seja, tem a cara da década e é uma banda que surgiu exatamente desse movimento de juvenil iniciado em Londres. Curioso é observar a capa do primeiro e último disco deles: é perceptível a mudança estética, totalmente opostas. Mostra a evolução de gerações da década: no primeiro disco o visual é totalmente mood, roupas justas e cabelo com corte simétrico. Já o último, Let It Be (1970) já trás um visual totalmente diferente: cabelos desgrenhados e barbas e bigodes grandes (alô hippies!).

Se você não conhecia nada sobre a década de 60, já dá para ter uma noção. E vou te mostrar nos próximos 2 posts como essa década trouxe elementos que são, hoje,  as últimas tendências no vestuário masculino. E aí você vai entender o porque é tão importante conhecer o passado para entender melhor o presente: seja na música, nas artes ou na moda. Aguarde!

Veja mais imagens da década de 1960 lá no meu Pinterest (follow me!) e comece a se inspirar.

 Veja também:

MPH Música: Boogaloo, é de comer?

Como a moda e a arte andam juntas

Pierre Cardin – Um Homem À Frente Do Seu Tempo






Escrito por Dhyogo Oliveira
Blogueiro e designer de moda. Também escreve no Sem Geração.